Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Clínica Médica / Covid-19: transmissões por assintomáticos podem responder por até 60% do total
mulher usando máscara para evitar transmissão de covid-19 por assintomáticos

Covid-19: transmissões por assintomáticos podem responder por até 60% do total

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Novos estudos científicos apontam que até 60% das transmissões do novo coronavírus ocorrem através de assintomáticos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem o registro de 19 pesquisas sobre transmissões de pessoas assintomáticas e pré-sintomáticas, os principais resultados apontam que:

  • 6,4% das 157 pessoas monitoradas em pesquisa do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, em 16 de março, haviam sido infectadas por pacientes pré-sintomáticos. A transmissão aconteceu em um intervalo de um a três dias antes da manifestação dos sintomas pelo paciente-fonte;
  • Na China, os assintomáticos foram responsáveis por transmissões de 46% a 62% dos casos, segundo pesquisadores da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, em um estudo publicado em 16 de março com base em dados coletados e um modelo de metapopulação;
  • 48% das transmissões em Singapura e 62% na cidade de Tianjin, na China, tiveram origem em assintomáticos, segundo estudo desenvolvido por pesquisadores holandeses e belgas, publicado em 18 de março.

Isolamento por Covid-19

A transmissão assintomática reforça o isolamento social como a maneira mais eficaz de barrar a transmissão e fez especialistas revisarem as orientações sobre o uso de máscaras.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse na quarta-feira (1º de abril) que máscaras de proteção podem servir como barreira eficiente para a população em geral contra o novo coronavírus. Ainda indicou o uso de máscaras caseiras, deixando as cirúrgicas e as N95 para os profissionais de saúde.

Como identificar e isolar assintomáticos ajudou a eliminar o vírus de uma vila italiana

Um estudo publicado no British Medical Journal relatou um teste realizado em uma vila isolada de cerca de 3 mil pessoas no norte da Itália, a vila de Vo’ Euganeo, a 50 km a oeste de Veneza. A vila foi fechada pelas autoridades em meados de fevereiro, momento em que os testes repetidos de RNA de toda a população começaram. Todos os indivíduos com testes positivos foram colocados em quarentena. O número de pessoas doentes da Covid-19 caiu de 88 para apenas sete (mais de 90%) em menos de dez dias.

Isso aconteceu porque a grande maioria das pessoas infectadas era assintomática, mas representava uma grande forma de contágio.

De acordo com o estudo, “a porcentagem de pessoas infectadas, mesmo que assintomáticas, na população é muito alta e representa a maioria dos casos, principalmente, mas não apenas, entre os jovens. O isolamento de assintomáticos é essencial para controlar a propagação do vírus e a gravidade da epidemia”.

Os pesquisadores concluíram que a realização de testes em larga escala para encontrar e isolar casos assintomáticos, principalmente entre os profissionais de saúde que podem transmitir o vírus sem querer a colegas ou pacientes, é uma estratégia vital para conter a propagação da doença.

Leia também: Covid-19: pico deve acontecer em abril e maio, com coronavírus circulando até meados de setembro

Espanha

Nos próximos dias, as autoridades de saúde espanholas pretendem ampliar os testes para o controle da infecção pela Covid-19 a todos os setores essenciais. Milhões de testes serão distribuídos pelas diferentes comunidades do país para encontrar infectados assintomáticos. Os trabalhadores essenciais constituem “um fluxo de transmissões silenciosas do novo coronavírus”, diz a versão online do jornal espanhol El País.

A Espanha registra mais de 12 mil óbitos pela Covid-19, sendo observada uma tendência na redução de casos. O plano de ação passa por conduzir testes em massa que permitam localizar esses casos assintomáticos. Depois, será necessário preparar estruturas de isolamento, evitando assim o contágio de pessoas próximas.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.