Dermatologia

Dermatologia: por que escolher essa especialidade médica?

Para ajudar você a escolher qual residência se alinha com as suas qualidades e seus objetivos, a PEBMED preparou um especial com diversos artigos sobre cada especialidade médica. Todo dia traremos a visão de um especialista sobre sua respectiva área, as oportunidades disponíveis, principais desafios e muito mais! Hoje, a Dra. Jaqueline Barbeito fala sobre Dermatologia.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Residência em Dermatologia

1) O que é?

É a área da medicina que cuida e trata das doenças da pele, tecido subcutâneo, cabelos e unhas. Abrange toda área da Dermatologia clínica e cirúrgica, assim como a Cosmiatria (área da Dermatologia que trata da beleza e alterações estéticas da pele).

É especialidade médica de acesso direto, ou seja, basta conclusão da graduação em medicina para estar a apto a cursar residência médica ou pós-graduação equivalente em Dermatologia (são 3 anos de especialização).

2) Como é o dia a dia?

A maior parte do dia a dia é ambulatorial. Atendimentos clínicos, pequenos procedimentos cirúrgicos e tratamentos estéticos podem ser realizados em consultório.

Cirurgias maiores podem necessitar de centro cirúrgico, assim como algumas doenças extensas podem requerer tratamento intra-hospitalar.

3) Oportunidades de trabalho:

O dermatologista recém formado por serviços credenciados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) deve dar entrada no Conselho Federal de Medicina para receber o seu Registro de Qualificação de Especialista (RQE). O RQE pode ser obtido após a conclusão de residência médica em Dermatologia reconhecida pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) ou através da realização da prova de título de especialista (TED) pela SBD.

O dermatologista pode abrir seu próprio consultório para atendimento (comprar, alugar ou sublocar uma sala) ou trabalhar em clínicas de terceiros (prática muito comum no Brasil): o profissional realiza os atendimentos e procedimentos e recebe o valor proporcional de seus atendimentos ao final do mês.

Vale lembrar também das oportunidades de concursos públicos municipais e estaduais (postos de saúde e hospitais públicos) e, também, de seguir carreira militar. Em geral, são poucas vagas em comparação com as outras especialidades médicas.

4) Número de especialistas:

No momento, temos aproximadamente 7 mil dermatologistas registrados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

5) Curiosidade(s):

– 05 de fevereiro é comemorado o dia do Dermatologista
– Dezembro é o mês destinado à campanha de prevenção e diagnóstico precoce ao câncer de pele e ficou conhecido como: DEZEMBRO LARANJA

6) Especialidades correlacionadas:

  • Alergia e Imunologia: dermatoses alérgicas, urticárias, testes alérgicos de contato.
  • Cirurgia Plástica: exérese de tumores da pele, cirurgias de pele com retalhos e enxertos.

7) Área de atuação:

  • Dermatologia clínica: diagnóstico, tratamento e acompanhamento de doenças cutâneas.
  • Dermatologia cirúrgica: abrange os cirurgias básicas, avançadas e até cirurgias cosméticas.
  • Dermatologia cosmiátrica: tratamentos e procedimentos estéticos, dentre eles aplicação de toxina botulínica, preenchimento cutâneo, lasers, entre outros.

Além disso, para quem defende o termo “sub-especialidade”, existem áreas na Dermatologia específicas, tais como:

  • Hansenologia: tratamento e acompanhamento da doença e complicações da hanseníase.
  • Dermatopatologia: área destinada ao estudo histopatológico das doenças dermatológicas.
  • Dermato-oncologia: destinada ao diagnóstico, tratamento dos cânceres cutâneos.
  • Dermatopediatria: estudo das dermatoses infantis.

8) Mensagem para quem quer seguir essa especialidade:

A Dermatologia é uma especialidade fascinante. É preciso muito estudo e dedicação, desde a busca pela vaga em uma especialização reconhecida pela SBD, durante o período de especializando e, também, após a formação, mantendo-se atualizado e buscando o melhor para o paciente sempre.

Veja também:
‘Coloproctologia: nem tudo que sangra é culpa das hemorroidas’
‘Pediatria: muita dedicação e amor pelo que se faz’

Autora:

Referências:

Compartilhar
Publicado por
Jaqueline Barbeito

Posts recentes

Efeito das lentes de contato rígidas gás permeáveis no Ceratocone

O uso de lentes de contato é uma das medidas muito utilizadas na reabilitação visual…

6 horas atrás

Whitebook: Intoxicação por cloroquina no ECG

Em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook vamos falar um pouco sobre a…

10 horas atrás

O paciente como um todo: entendendo o indivíduo, a família e o contexto

A experiência que cada paciente tem é única e esse entendimento, pelo médico, é fundamental…

1 dia atrás

As aplicabilidades da escala de coma de Glasgow [podcast]

No episódio de hoje, Felipe Nobrega comenta sobre o uso da escala de coma de…

1 dia atrás

Tempo mínimo de tratamento para a pneumonia adquirida na comunidade: o estudo PCT

A duração difundida do tratamento antimicrobiano para pneumonia adquirida na comunidade, de 5 a 10…

1 dia atrás

Modelo de predição de parto prematuro para mulheres em trabalho de parto prematuro

O paradigma envolvendo o parto prematuro é a dificuldade de diagnóstico, uma vez que seus…

1 dia atrás