Home / Colunistas / Dois novos medicamentos como opção no tratamento de Ebola

Dois novos medicamentos como opção no tratamento de Ebola

Colunistas, Ebola, Emergências, Epidemia
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

Ebola é uma febre hemorrágica viral, altamente contagiosa. É responsável por diversas epidemias que ocorreram nos últimos anos, causando milhares de mortes. Devido ao seu grande potencial pandêmico e alta letalidade, diversos grupos têm estudado medicamentos que possam ser utilizados no combate à doença. Resultados recentes de estudos clínicos trouxeram notícias animadoras para o tratamento dessa condição.

Ensaio clínico realizado no Congo

Desde outubro de 2018, um ensaio clínico randomizado vem sendo conduzido na República Democrática do Congo. O objetivo é avaliar a eficácia de quatro medicamentos desenvolvidos para serem utilizados contra o Ebola: ZMapp, remdesivir, mAb114 e REGN-EB3. O protocolo inicial previa a inclusão de 725 pacientes. Entretanto, um painel independente de observadores recomendou a interrupção precoce do estudo, já com alocação de 681 pacientes.

Leia também: Ebola volta a ser epidemia mundial no Congo

A recomendação veio a partir da análise dos resultados parciais de 499 participantes. Eles mostraram que os pacientes que receberam REGN-EB3 ou mAb114 tiveram maior chance de sobrevivência do que os pacientes randomizados para receber uma das outras duas medicações. A taxa de mortalidade foi de 6% no grupo que recebeu REGN-EB3 e de 11% no de mAb114. Enquanto isso, as mortes nos braços que receberam ZMapp ou remdesivir foram de 24% e 33%, respectivamente.

Conclusões parciais

A análise final só poderá ser feita depois que todos os dados forem coletados. Apesar disso, o painel avaliou que os resultados preliminares mostraram evidência o suficiente para que a randomização posterior de novos pacientes seja restrita aos braços de REGN-EB3 ou mAb114. Além disso, os pacientes alocados para receber ZMapp ou remdesivir nos 10 dias anteriores à divulgação da decisão do painel podem ser trocados para REGN-EB3 ou mAb114 a critério do médico assistente.

Ainda é cedo para que conclusões definitivas sejam tiradas, mas os resultados preliminares trazem esperança para o tratamento de uma doença devastadora com grande potencial pandêmico.

Veja outros conteúdos sobre Ebola:

Autora: 

Referências:

  • NIH. Independent Monitoring Board Recommends Early Termination of Ebola Therapeutics Trial in DRC Because of Favorable Results with Two of Four Candidates. August 12, 2019.
  • Young, K. Ebola Treatments Roughly 90% Effective in Africa. NEJM Journal Watch August 13, 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.