Em populações especiais, devemos fazer dose reduzida de prasugrel? - PEBMED

Em populações especiais, devemos fazer dose reduzida de prasugrel?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Os inibidores P2Y12 são potentes auxiliares ao AAS nos pacientes com síndrome coronariana aguda e pós-implante de stents. O prasugrel mostrou ser mais potente que o clopidogrel, entretanto o risco de sangramento com essa droga é maior, principalmente em pacientes acima de 75 anos, com menos de 60kg, com AVC prévio e pacientes do leste asiático.

A estratégia de redução de dose de manutenção de 10 mg para 5 mg ao dia foi testada no estudo TRILOGY em pacientes acima de 75 anos ou com menos de 60 kg com segurança.

folha de eletorcardiograma de paciente em uso de prasugrel

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Redução da dose de prasugrel

O estudo HOST-REDUCE-POLYTECH-ACS foi um estudo aberto, randomizado, de não inferioridade realizado em 35 hospitais da Coreia do Sul. Pacientes com síndrome coronariana aguda (SCA) que foram submetidos a intervenção coronariana (PTCA) foram divididos em dois grupos para receber prasugrel 10 mg + aspirina (convencional) e prasugrel 5 mg e aspirina (redução da dose).

Leia também: ESC 2020: nova diretriz para síndrome coronariana sem supra de ST

O desfecho primário era um composto de mortalidade por todas as causas, IAM não fatal, trombose de stent, necessidade de nova revascularização, AVC, e sangramentos importantes. Os desfechos secundários foram uma junção dos desfechos de eficácia (morte cardiovascular, IAM, trombose de stent e AVC isquêmico) e os desfechos de segurança (sangramento importante, classificado com 2 ou mais pela BARC).

Foram quatro anos de estudo com 2.338 pacientes. Após um ano de seguimento as taxas de mortalidade por todas as causas e infarto do miocárdio não fatal foram similares entre os grupos, porém o risco de sangramento foi menor no grupo da redução da dose.

Conclusões

Unindo este ao estudo TRILOGY, podemos concluir que é razoável utilizar dose reduzida de prasugrel em pacientes asiáticos, com 75 anos ou mais ou menos de 60 quilos com síndrome coronariana aguda.

Autor:

Referências bibliográficas:

  • Kim HS, Kang J, Hwang D, et al. Prasugrel-based de-escalation of dual antiplatelet therapy after percutaneous coronary intervention in patients with acute coronary syndrome (HOST-REDUCE-POLYTECH-ACS): an open-label, multicentre, non-inferiority randomised trial. Lancet 2020. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)31791-8 https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(20)31791-8/fulltext
  • Roe MT, Armstrong PW, Fox KA, et al. Prasugrel versus clopidogrel for acute coronary syndromes without revascularization. N Engl J Med 2012; 367:1297. DOI: 10.1056/NEJMoa1205512

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar