Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Enfermagem / Enfermeiro: passagem de cateter vesical de demora no paciente masculino
cateter vesical

Enfermeiro: passagem de cateter vesical de demora no paciente masculino

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

Tempo de leitura: 3 minutos.

É um procedimento estéril que consiste na introdução de uma sonda até a bexiga, através da uretra, com a finalidade de facilitar a drenagem da urina ou inserir medicação ou líquido, com tempo de permanência longo (pode variar de dias a meses), determinado pelo médico.

Esse texto faz parte do Nursebook, aplicativo de condutas de enfermagem. Clique aqui para baixar grátis e ter acesso a mais conteúdos!

Objetivo: Controlar o volume urinário, possibilitar a eliminação da urina em pacientes imobilizados, inconscientes ou com obstrução, intraoperatório em diversas cirurgias.

Aplicação: Aos pacientes adultos e pediátricos internados, ambulatoriais e de pronto atendimento com prescrição médica.

Responsabilidade: Enfermeiros, Médicos.

Leia maisNovos enfermeiros fazem mais horas extras e muitos têm segundo emprego

Materiais Necessários

  1. Um kit de sondagem vesical: Inclui sonda tipo “Folley” e coletor de urina de sistema fechado;
  2. Bandeja estéril para o procedimento com cubas e pinças;
  3. Tamanho das sondas: Neonatal 4-6 French; pediátricas 6-10 French; Adulto 12-24 French; Biombo;
  4. Campo estéril e um campo fenestrado;
  5. Um par de luvas estéreis;
  6. Um par de luvas de procedimento;
  7. Compressas ou luvas de banho;
  8. Água e sabão neutro;
  9. Clorexidina degermante;
  10. Clorexidina aquosa 2%;
  11. Uma sonda vesical, duas ou três vias de calibre adequado;
  12. Xilocaína geleia 2%;
  13. Dois a três pacotes de gaze;
  14. Uma seringa de 5 ml (se paciente pediátrico) ou 20 ml (se paciente adulto) – deve ter ponta luer slip, simples – que encaixe no dispositivo de preenchimento do balonete da sonda;
  15. 5 a 15 ml de água destilada (depende se pediátrico ou adulto);
  16. Fita adesiva microporosa hipoalergênica;
  17. Uma agulha de aspiração (40×12).

Etapas do procedimento em pacientes do sexo masculino

  1. Lavar as mãos.
  2. Reunir o material e levar até a paciente.
  3. Promover ambiente iluminado e privativo.
  4. Explicar o procedimento ao paciente ou acompanhantes, se for o caso.
  5. Calçar luvas de procedimento.
  6. Verificar as condições de higiene do pênis tendo o cuidado de expôr a glande para higienização eficaz, se necessário, higienize com água e sabão.
  7. Posicionar a paciente em decúbito dorsal.
  8. Retirar as luvas de procedimento.
  9. Higienizar as mãos.
  10. Organizar o material sobre uma mesa ou local disponível.
  11. Abrir o pacote de sondagem, acrescentando quantidade suficiente de antisséptico na cuba rim, pacotes de gaze sobre o campo estéril, seringas e agulha para aspiração.
  12. Calçar as luvas estéreis.
  13. Aspire a água destilada na seringa (com auxílio de um colega para segurar a ampola).
  14. Teste o cuff e a válvula da sonda instilando a água destilada.
  15. Conecte a sonda no coletor de urina sistema fechado, feche o clamp de drenagem que fica no final da bolsa e certifique-se que o clamp do circuito próximo da sonda esteja aberto.
  16. Dobrar, aproximadamente, sete folhas de gaze e colocar na cuba com a clorexidina degermante.
  17. Coloque lubrificante anestésico (Pediátrico: 3-5 mL. Adulto: 10-15 mL) na seringa, com a ajuda de um colega para apertar o tubo. Em Recém-nascidos, coloque uma porção do lubrificante anestésico (após descartar o primeiro jato) sobre o campo e/ou sobre a extremidade da sonda.
  18. Proceder à higiene do pênis com as gazes que foram embebidas na clorexidina no sentido anteroposterior e lateral-medial com o auxílio das pinças.
  19. Posicione o pênis do paciente perpendicularmente ao corpo.
  20. Colocar o campo fenestrado.
  21. Com a mão não dominante segurar o pênis. Injete lentamente o lubrificante anestésico no orifício uretral e aguarde de 3 a 5 min para o efeito anestésico do gel.
  22. Com a mão não dominante segurar o pênis, em seguida, com a mão dominante, introduzir a sonda até retornar urina no intermediário da bolsa coletora, sendo seguro introduzir mais uma porção a fim de evitar inflar o balonete no canal uretral, pois o equipamento deve ser inflado no interior da bexiga urinária.
  23. Inflar o balonete com água destilada e tracionar a sonda para verificar se está fixa na bexiga.
  24. Retirar o campo fenestrado.
  25. Remover o antisséptico da pele do paciente com auxílio de uma compressa úmida, secando em seguida.
  26. Posicione o pênis sobre a região supra púbica e fixe a sonda com adesivo hipoalergênico, tendo o cuidado de não deixá-la tracionada.
  27. Pendurar a bolsa coletora em suporte localizado abaixo do leito (e não nas grades).
  28. Auxilie o paciente a se vestir e/ou coloque a fralda descartável.
  29. Deixe o paciente confortável.
  30. Recolher o material, providenciando o descarte e armazenamento adequado.
  31. Lavar as mãos novamente, retornar e identificar a bolsa coletora com nome do paciente, data, turno e nome do enfermeiro responsável pelo procedimento.
  32. Registrar o procedimento no prontuário e/ou folha de observação complementar do paciente, atentando para as características e volume urinário

Autor:

Referências:

  • Prado ML, et al. Fundamentos para o cuidado profissional de enfermagem. 3a ed. Florianópolis: UFSC, 2013. 548 p.
  • Perry AG, Potter PA; Desmarais, PL. Guia completo de procedimentos e competências de enfermagem. 8a ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2015.
  • Torres GV, Fonseca PCB, Costa IKF. Cateterismo vesical de demora como fator de risco para infecção do trato urinário: conhecimento da equipe de enfermagem de unidade de terapia intensiva. Rev Enferm UFPE 2010; 4(2): 1-9.
  • Lynn P. Manual de Habilidades de Enfermagem Clínica de Taylor. Porto Alegre: Artmed; 2012.

14 comentários

  1. Avatar
    NAZICLEIDE BARBOSA DA SILVA RABAQUM

    Ola boa tarde, gostaria que postassem tambem passagem de sonda vesical feminina por favor. Gratidão.

    • Avatar
      Mara Regina Mesquita Goncalves

      Gostaria de saber se é necessário usar máscara e touca no procedimento de passagem de sonda de alívio

  2. Avatar

    O Enfermeiro pode determinar o número da sonda foley.
    Ou precisa está prescrita pelo médico.

    • Avatar

      o enfermeiro quem analisa e determina o numero da sonda que será utilizada no paciente.

    • Avatar

      varia de medico para medico, alguns podem te dar a dica de qual numeração usar, outros só faz a prescrição do procedimento.
      e cabe a nos enfermeiros a decisão da numeração correta.

    • Avatar
      Tamires Conceição dos Santos

      Bom dia gostaria de saber s a paciente em uso de sonda vesical de demora pode ficar sentada na cadeira de rodas no caso do sexo feminino

  3. Avatar
    marcelo dutra

    qual seria a validade da sondagem?

  4. Avatar

    Uma enfermeira mulher pode se recusar ou pedir para um enfermeiro do mesmo sexo do paciente realize o procedimento no órgão sexual?

    • Avatar
      ricardo maia

      Antes de mais nada uma enfermeira deve ser profissional e entender que faz parte das suas atribuições profissionais. Mas se houver a possibilidade de ser realizada por pessoa do mesmo gênero que o paciente com certeza será menos desconfortável para ambos.

    • Avatar

      se tiver um enfermeiro no plantão junto a você, sim pode pedir para ele realizar o precedimento, ou acompanhar você no procedimento.

  5. Avatar

    Se na hora da colocação da sonda observa uns restos de sangue próximo ao orifício, so que interno, mas sem vim urina quando esta colocando, (acompanhante informa que no dia anterior foi passado uma sonda de alivio) quase no processo final da sonda, sem retorno, mas vem um pouco de sangue sem urina, (mas voce pensa que pode ser uma infecção, ou lesão por ter passado 2 dias seguidos) na hora de insuflar o balonete não ha resistência, mas como esta sem retorno, prefere desinsuflar e tirar a sonda pra outra enfermeira auxiliar… Ela tenta passar outra, e vem o retorno da urina e com sangue na bolsa coletora, observou até coagulo, depois só urina, mas pelo pênis vem sangue ainda pelo orifício…
    oque pode ter acontecido?
    Qual procedimento, tratamento….

    • Avatar
      Eudo Jorge ALVES Santos

      complexa sua pergunta,porém esse paciente pode ter sofrido umm trauma na uretra ,pode ser fisiopatologico,decorrente de neoplasia de próstata,ou cirurgias comunicar o medico que o acompanha.

  6. Avatar

    Olá, ainda é feito o teste do balonete antes do procedimento? Se sim, é utilizado a mesma água destilada após do teste, quando a sonda já está no paciente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.