Home / Psicologia Médica / Hipertermia pode ajudar no tratamento da depressão? Entenda

Hipertermia pode ajudar no tratamento da depressão? Entenda

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Os resultados preliminares de uma nova terapia para a depressão leve mostraram que a hipertermia pode ser um forte aliado no tratamento da doença. O procedimento teve uma ação rápida e se mostrou seguro com benefícios terapêuticos prolongados, de acordo com uma publicação do JAMA Psychiatry.

Para chegar nessa conclusão, um grupo de pesquisa realizou um estudo duplo-cego, randomizado, controlado, de 6 semanas, de uma única sessão de hipertermia em 34 pacientes com um longo período depressivo (idade média de 39, média de duração do período de 113 meses). A maioria dos pacientes tinha tomado, no mínimo, um tipo de antidepressivo e teve, no mínimo, um período de depressão anterior.

hipertermia em paciente com depressao

Hipertermia e depressão

Os participantes passaram por duas etapas:

  • Na primeira, eles foram expostos a um aparelho de aquecimento que eleva a temperatura corporal para 38,5 ºC durante cerca de 1h30, seguido de 1 hora de resfriamento;
  • E na segunda, eles passaram a mesma quantidade de tempo em um aparelho similar, mas que produzia apenas calor suave.

Resultados e conclusões

 

Dos 34 pacientes, 29 tiveram pelo menos uma avaliação pós-intervenção. O tratamento ativo foi associado com resultados significativamente maiores de diminuições do que o tratamento placebo na Escala Hamilton para depressão. A redução com hipertermia começou na primeira semana (-5.91 pontos) e continuou até a sexta semana (-8,31); os resultados com placebo eram de -1,89 na primeira semana e -5,54 na sexta semana.

Os pesquisadores explicam que esse feito sob a depressão pode estar relacionado com o fato de que o aquecimento suave do corpo ativa regiões do cérebro como o córtex órbito-frontal, córtex cingulado anterior e estriado ventral. Essas regiões processam sinais térmicos agradáveis e são regulados negativamente durante a depressão.

Mais conteúdos sobre depressão

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED.

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.