Envolvimento neurológico é frequente em menores com Covid-19 aguda e SIM

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Em uma grande série de casos multicêntricos envolvendo crianças e adolescentes norte-americanos hospitalizados com Covid-19 ou síndrome inflamatória multissistêmica aguda em pediatria (SIM-P), 22% dos pacientes relatados tiveram envolvimento neurológico. Os resultados do estudo Neurologic Involvement in Children and Adolescents Hospitalized in the United States for Covid-19 or Multisystem Inflammatory Syndrome foram publicados no jornal JAMA Neurology.

Leia também: Prognóstico e evolução na síndrome inflamatória multissistêmica associada à Covid-19

Envolvimento neurológico é frequente em menores com Covid-19 aguda e SIM

Método do estudo

O estudo foi realizado por meio de vigilância ativa em 61 hospitais em 31 estados da rede Overcoming Covid-19 para identificar crianças e adolescentes de até 21 anos com doenças relacionadas ao vírus SARS-CoV-2 hospitalizadas no período de 15 de março a 15 de dezembro de 2020. Os pacientes foram incluídos se estivessem sido hospitalizados por doença aguda em um centro participante, tivessem menos de 21 anos, tivessem um resultado do teste SARS-CoV-2 positivo (PCR e/ou anticorpo) e sintomas associados a Covid-19, ou atendessem aos critérios do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) para SIM-P. Os pacientes foram excluídos se tivessem infecção assintomática pelo SARS-CoV-2 ou uma causa não relacionada à Covid-19 para hospitalização ou morte. Raça e etnia foram extraídas do prontuário e incluídas para avaliar o risco de envolvimento neurológico.

Os pacientes foram estratificados pela presença de envolvimento neurológico, definido como: (1) doença neurológica aguda suspeita, como, por exemplo, infecção/desmielinização do sistema nervoso central (SNC) ou acidente vascular cerebral (AVC) à apresentação ou que se desenvolveu durante a hospitalização ou (2) sinais ou sintomas neurológicos agudos à apresentação. O envolvimento neurológico com risco de vida foi julgado por especialistas com base em características clínicas e/ou neurorradiológicas.

Foram incluídos 1.695 pacientes, sendo 909 (54%) do sexo masculino e com idade mediana de 9,1 anos. Destes 1.695 pacientes, 365 (22%) eram provenientes de 52 locais e tinham envolvimento neurológico documentado. Pacientes com envolvimento neurológico eram mais propensos a ter distúrbios neurológicos subjacentes (81/365 = 22%) em comparação àqueles sem (113/1330 = 8%), mas um número semelhante era previamente saudável (195 [53%] versus 723 [54%]) e preenchia os critérios para SIM-P (126 [35%] versus 490 [37%]).

Saiba mais: Covid-19: alterações imunológicas em crianças com síndrome inflamatória multissistêmica

Entre os pacientes com envolvimento neurológico, 88% (n = 322) tiveram sintomas transitórios e sobreviveram, e 12% (n = 43) desenvolveram condições de risco de vida clinicamente consideradas associadas à Covid-19:

  • Encefalopatia grave (n = 15; 5 com lesões espleniais);
  • AVC (n = 12);
  • Infecção/desmielinização do SNC (n = 8);
  • Síndrome/variantes de Guillain-Barré (n = 4);
  • Edema cerebral fulminante agudo (n = 4).

Em comparação com os pacientes sem condições de risco de vida (n = 322), aqueles com condições neurológicas de risco tiveram maiores taxas de neutrófilos a linfócitos (mediana 12,2 versus 4,4) e maior frequência relatada de D-dímero acima de 3 micrograma/mL unidades equivalentes de fibrinogênio (21 [49%] versus 72 [22%]). Dos 43 pacientes que desenvolveram envolvimento neurológico com risco de vida relacionado à Covid-19, 17 sobreviventes (40%) tiveram novos déficits neurológicos na alta hospitalar e 11 pacientes (26%) evoluíram para óbito.

Conclusão

Os pesquisadores concluíram que, neste estudo, o envolvimento neurológico relacionado à Covid-19 foi comum em crianças e adolescentes hospitalizados e, principalmente, transitório. Além disso, uma variedade de condições neurológicas fatais e com risco de vida associadas à Covid-19 raramente ocorreram. No entanto, os efeitos sobre os resultados do neurodesenvolvimento em longo prazo são desconhecidos.

De fato, o envolvimento neurológico tem sido associado à Covid-19 e isso tem sido observado em muitos estudos envolvendo pacientes adultos. Ainda se sabe muito pouco sobre a doença, portanto precisamos aguardar novas pesquisas para avaliar os desfechos em longo prazo. Apesar de menos frequente, a Covid-19 ocorre na pediatria e as crianças, apesar de menos suscetíveis, não estão isentas às complicações dessa enfermidade.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • LaRovere KL, Riggs BJ, Poussaint TY, et al. Neurologic Involvement in Children and Adolescents Hospitalized in the United States for Covid-19 or Multisystem Inflammatory Syndrome [published online ahead of print, 2021 Mar 5]. JAMA Neurol. 2021;e210504. doi:10.1001/jamaneurol.2021.0504

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar