Página Principal > Colunistas > Existe relação entre fibromialgia e corioretinopatia serosa central?

Existe relação entre fibromialgia e corioretinopatia serosa central?

A fibromialgia é uma condição caracterizada por dor musculoesquelética difusa crônica e desconforto. Afeta todas as raças, etnias, classes econômicas e grupos etários (incluindo crianças), sendo mais comum no sexo feminino (9:1). A incidência é de 2-3% no Brasil e aumenta com a idade, sendo mais frequente entre 20-55 anos.

São distúrbios associados ao diagnóstico de fibromialgia:

  • Ansiedade/Estresse;
  • Depressão;
  • Letargia;
  • Distúrbios do sono;
  • Alterações gastrointestinais;
  • Sintomas psiquiátricos (Transtornos do humor e de personalidade).

E qual seria a relação desta síndrome de causa ainda pouco esclarecida com uma doença retiniana, conhecida como corioretinopatia serosa central (CSR)?

A corioretinopatia serosa central é uma maculopatia comum que envolve descolamento seroso da retina neurossensorial associada a lesões focais no epitélio pigmentar da retina e com distúrbios circulatórios da vasculatura coroidal. Apesar da patogênese ser ainda pouco conhecida, alguns fatores poderiam precipitá-la, como:

  • Tabagismo;
  • Estresse/Depressão/Personalidade tipo A: principal fator associado;
  • Gravidez;
  • Hipercortisolismo.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Em geral, indivíduos com CSR são saudáveis. É um processo autolimitado no qual a acuidade visual melhora em 1 a 4 meses após o início. A recorrência é comum, acontecendo em 30-50% dos pacientes e dentro do primeiro ano. Alguns pacientes com recorrências frequentes podem desenvolver uma atrofia do epitélio pigmentar e alterações da retina neurossensorial, resultando em perda visual de acuidade visual, visão de cor ou sensibilidade ao contraste permanentes.

Em comum entre a fibromialgia e a CSR temos portanto semelhanças na etiopatogênese (como perfil de personalidade, estresse, depressão e níveis de cortisol). As desordens psiquiátricas associadas à fibromialgia podem estar envolvidas na recorrência da CSR. Além disso a presença de estresse/ansiedade após diagnóstico de CSR também pode ter um papel no desenvolvimento da fibromialgia.

Estudo publicado nos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia por Balkarli et al. investigou a frequência de fibromialgia em pacientes com CSR. Foram avaliados 83 pacientes com diagnóstico de serosa central atendidos no departamento de oftalmologia do hospital Antalya, na turquia. O grupo controle era formado por 201 funcionários saudáveis do hospital.

A média de duração da CSR foi de 18.8+-16.6 meses. A fibromialgia foi diagnosticada em  42.2% dos pacientes com corioretinopatia e em apenas 10.4% do grupo controle (P<0.001). No grupo com CSR e fibromialgia, 40% eram mulheres e 60% homens. O estresse familiar foi considerado importante fator de risco para desenvolvimento de fibromialgia (OR 11.553). Os questionários de depressão e ansiedade tiveram pontuações maiores em pacientes com corioretinopatia que tinham fibromialgia do que nos pacientes sem fibromialgia.

Mais da autora: ‘Tumores de sítios extraoculares podem dar metástase iriana?’

Os resultados indicam que pacientes que tenham diagnóstico de CSR devam ser avaliados quanto a possibilidade de síndrome fibromiálgica. O diagnóstico de fibromialgia é importante tanto na identificação de comorbidade psiquiátricas quanto no tratamento da corioretinopatia. Foi sugerido que a depressão observada em pacientes com fibromialgia tem características diferentes daquela em outros indivíduos.  Ideação negativa, sensação de abandono e ansiedade são mais comuns na síndrome fibromiálgica. Além disso, a dor generalizada causa piora da qualidade de vida e problemas psicossociais, devendo ser abordada de forma multidisciplinar.

Em relação a CSR, devemos lembrar sempre que é importante tentar modificar os fatores de risco para evitar recorrências e perda de função visual. Para isso deve-se considerar sempre o tratamento concomitante da fibromialgia se presente, reduzindo assim os fatores de estresse.

Autora:

Referências:

  • Frequency of fibromyalgia syndrome in patients with central serous chorioretinopathy. Ayse Balkarli1, Muhammet Kazim Erol2, Ozgur Yucel2, Yusuf Akar3. ABO jan/fev 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.