FDA aprova gel de clindamicina para tratamento de vaginose bacteriana

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A vaginose bacteriana não é uma infecção vaginal propriamente dita. Ela representa sim um desequilíbrio no microambiente vaginal com crescimento exacerbado da Gardnerella vaginallis levando a sintomas desagradáveis para a mulher como presença de leucorreia, odor desconfortável, além de poder ser fator de prematuridade por poder levar a trabalho de parto prematuro e amniorrexe prematura. Na ginecologia seu desenvolvimento é capaz de causar infecções repetidas e ser fator de infertilidade.

Leia também: Como o uso de probióticos pode auxiliar na prevenção de vaginose bacteriana recorrente?

FDA aprova gel de clindamicina para tratamento de vaginose bacteriana

Impacto

Hoje temos aproximadamente 21 milhões de mulheres nos EUA passando por esse quadro anualmente. A vaginose bacteriana representa a causa mais comum de vaginite no mundo. Infelizmente mais de 50% das mulheres tratadas apresentam recidiva dentro de um ano.

No dia 7 de dezembro passado o Laboratório Daré (San Diego, CA) anunciou a aprovação pelo FDA do uso de XACIATO® (fosfato de clindamicina) para tratamento de vaginose bacteriana em formato gel para uso em dose única vaginal em moças a partir de 12 anos de idade.

Algumas ressalvas importantes:

  • Gestantes: outros derivados de clindamicina têm sido utilizados para tratamentos em gestantes no 2º e 3º trimestres. XACIATO® não foi testado em mulheres grávidas, mas a via intravaginal em gestantes não demonstra efeito fetal significativo.
  • De modo semelhante, a absorção sistêmica após uso vaginal é desprezível o que pode garantir seu uso durante o período de aleitamento materno, com a tendência de poucos efeitos no recém nascido.
  • A segurança e eficácia não foi demonstrada em crianças menores que 12 anos de idade.
  • As relações sexuais devem ser evitadas por um período de 7 dias após a administração do medicamento. Mesmo com uso de preservativos, uma vez que o poliuretano de preservativos pode não prevenir gestações nesse período. Já os preservativos de látex podem ser utilizados.

Saiba mais: O que há de novo sobre vaginose bacteriana e vaginite inflamatória?

No Brasil, enquanto não chega esse novo medicamento, podemos contar apenas com os cremes vaginais com fosfato de clindamicina com tempo de três a sete dias de tratamento.

Referências bibliográficas:

Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.