Página Principal > Pediatria > Ferramenta para triagem de adolescentes por Transtornos de Uso de Álcool na Emergência
copo de cerveja

Ferramenta para triagem de adolescentes por Transtornos de Uso de Álcool na Emergência

A identificação precoce de problemas com álcool na juventude é fundamental para evitar problemas mais graves, mas não há consenso sobre a melhor ferramenta de triagem para adolescentes. O questionário desenvolvido pelo Instituto Nacional de Abuso de Álcool e Alcoolismo (National Institute of Alcohol Abuse and Alcoholism – NIAAA) foi apontado como uma ferramental em potencial.

O questionário do NIAAA consiste de duas perguntas, e a avaliação de risco é feita com base no número de dias em que o paciente bebeu no ano anterior. Os hábitos de amigos próximos também são investigados. Para jovens no ensino fundamental, as perguntas são:

  1. Você tem algum amigo que bebeu cerveja, vinho ou qualquer bebida contendo álcool no ano passado?
  2. E quanto a você – no ano passado, em quantos dias você teve mais do que alguns goles de cerveja, vinho ou qualquer bebida contendo álcool?

Já para jovens no ensino médio, as perguntas são:

  1. No ano passado, em quantos dias você teve mais do que alguns goles de cerveja, vinho ou qualquer bebida contendo álcool?
  2. Se seus amigos bebem, quantas bebidas costumam beber em uma ocasião?

Veja também: ‘Álcool e cardiopatias: quem bebe ocasionalmente também está em risco!’

Para determinar a eficácia desse questionário como ferramenta da triagem em departamentos de emergência, pesquisadores analisaram 4.838 pacientes de 12 a 17 anos. Uma bateria de avaliações (incluindo o questionário do NIAAA e outras medidas de álcool, uso de drogas e comportamentos de risco) foi auto-administrada em um computador. Em uma subamostra (n = 186), pesquisadores re-administraram o questionário NIAAA uma semana depois para avaliar a confiabilidade do teste-reteste.

A confiabilidade teste-reteste foi de moderada a boa. Tanto a classificação de risco moderada quanto a de risco maior na triagem apresentaram a melhor sensibilidade e especificidade combinadas para determinar o diagnóstico de transtorno relacionados ao uso de álcool para os pacientes de todas as idades analisadas.

Qualquer ano anterior bebendo entre os alunos do ensino médio aumentou as chances de um diagnóstico de alcoolismo, de acordo com o critério do Diagnóstico e Manual Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders), considerando que o corte ideal para idades do ensino médio foi ≥ 3 dias bebendo no ano anterior.

E mais: ‘Consumo de álcool aumenta o risco para câncer’

O ponto de corte ideal para dias bebendo determinando uma pontuação positiva do Teste de Identificação de Distúrbios do Uso de Álcool entre sujeitos do ensino fundamental foi ≥ 1 dia de beber, enquanto o melhor corte para alunos do ensino médio foi ≥ 2 dias de beber.

Pelos resultados, os pesquisadores concluíram que o questionário NIAAA é uma abordagem breve e válida para a triagem de álcool em departamentos de emergência. Um resultado positivo sugere que o encaminhamento para uma avaliação é indicado.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Dra. Ana Carolina Pomodoro, pediatra e colunista da PEBMED, fala mais sobre a questão:

“Sabemos que adolescentes saudáveis são os que menos usam o serviço médico, indo eventualmente a um setor de emergência. Já os adolescentes que usam esse tipo de setor possuem taxas mais elevadas de problemas de saúde mental e abuso de substâncias que os demais da mesma faixa etária.

Um estudo bem interessante desenvolvido por Spirito et al foi publicado no Pediatrics e descreve uma ferramenta de triagem fácil e breve, como precisa ser para o perfil do setor em questão.

Seria importante implantarmos esse tipo de avaliação em nossas emergências, uma vez que os jovens têm aumentado seu consumo de álcool e drogas. Precisamos prevenir as doenças com educação em saúde nas escolas, mas também é necessário reconhecer precocemente os que já mostram sinais de alteração para que nossa atuação seja mais eficaz”, opina Dra. Ana.

Referências:

  • Spirito A, Bromberg JR, Casper TC, et al. Reliability and Validity of a Two Question Alcohol Screen in the Pediatric Emergency Department. Pediatrics. 2016;138(6):e20160691

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.