Há diferenças nas complicações entre os acessos supra e infrapatelar na fixação intramedular da tíbia?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

O acesso suprapatelar para tratamento cirúrgico das fraturas de tíbia com haste intramedular foi inicialmente descrito por Tornetta em 1996 e modificado por Cole em 2006. As vantagens da utilização desse acesso em relação ao tradicional seriam menor dor anterior no joelho no pós-operatório e menor necessidade de flexão do joelho no intraoperatório, permitindo melhor controle da redução. Entretanto, acreditava-se em uma maior chance de dano intra-articular e infecção do joelho.

A última revisão sistemática sobre o tema foi publicada em 2019 e contou com 5 estudos.  Nos últimos anos, com a crescente pesquisa sobre o tema e aumento do número de ensaios clínicos foi possível fortalecer o debate. O Journal of Orthopedic Trauma publicou em agosto desse ano uma nova revisão sistemática buscando responder às seguintes perguntas: 1) O acesso suprapatelar gera menos dor anterior no joelho?; 2) Há diferença nas complicações (condropatia patelar, consolidação viciosa, pseudoartrose, infecção e necessidade de reoperação) entre o acesso supra e infrapatelar?; 3) Há diferença funcional e de qualidade de vida?

Leia também: Osteotomias tibiais: quando retornar ao esporte?

Há diferenças nas complicações entre os acessos supra e infrapatelar na fixação intramedular da tíbia?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

O estudo

Foram selecionados 2 ensaios clínicos randomizados, 1 estudo de coorte prospectivo, 7 estudos de coorte retrospectivos comparativos e 4 estudos de coorte simples retrospectivos, totalizando 1.447 pacientes. Tais estudos compararam os resultados em pacientes submetidos a fixação intramedular de fraturas de tíbia com acesso supra ou infrapatelar.

Oito estudos relataram dados sobre dor anterior no joelho no pós-operatório sendo 29% (0% a 38%) no suprapatelar e 39% (14% a 46%) no infrapatelar, diferença não significativa. Também não foram relatadas diferenças significativas entre os acessos em escalas analógicas ou numéricas de dor.

Quanto à condropatia retropatelar, 2 estudos com pacientes submetidos à acesso suprapatelar foram bases de dados. Em um deles, 3 pacientes de um total de 11 evoluíram com lesões cartilaginosas nas artroscopias pós-operatórias, com melhora total após 1 ano. Em outro, 5% (2 de 37 pacientes) desenvolveram lesões condrais no sulco troclear, também com melhora após 1 ano de follow-up.

A taxa de infecção foi de 12% (0% a 18%) nos acessos suprapatelares e 9% (0% a 20%) após acessos infrapatelares baseada em 8 estudos. Em apenas 1 estudo, 2 pacientes de um total de 147 (1%) apresentaram artrite séptica do joelho após acesso suprapatelar. A maioria das infecções ocorreu após fraturas expostas da tíbia.

Sete estudos compararam o alinhamento das osteossínteses após os diferentes acessos. Dois desses demonstraram superioridade do acesso suprapatelar tanto no plano coronal quanto sagital. Em um deles as fraturas mal alinhadas corresponderam a 4% dos pacientes submetidos ao acesso supra e 26% dos submetidos ao infrapatelar (p<0,005; IC 95%).

Saiba mais: Como se preparar para cirurgias ortopédicas e de trauma em pacientes com Covid-19?

Os índices de pseudoartrose variaram de 1 a 9% nos submetidos ao acesso suprapatelar e foi de 0% no acesso infrapatelar, não sendo observadas diferenças significativas. A taxa de reoperação também não teve diferença significativa entre os acessos (21% no supra e 26% no infrapatelar). De um total de 10, apenas 1 estudo demonstrou diferença significativa em escores funcionais entre os acessos, com vantagem para o suprapatelar. Nenhum estudo demonstrou diferença na qualidade de vida.

Conclusões

Tanto o acesso suprapatelar quanto o infrapatelar são boas opções no tratamento das fraturas tibiais com haste intramedular. Sem dúvidas, o acesso tradicional infrapatelar ainda é o mais utilizado por ortopedistas atualmente, entretanto, o acesso suprapatelar é capaz de fornecer maior conforto ao cirurgião em fraturas mais proximais, além de permitir a fixação com grau menor de flexão do joelho. Pensando apenas nas complicações, a escolha entre uma ou outra parece ser indiferente.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Bleeker, Nils Jan, et al. “Difference in Pain, Complication Rates, and Clinical Outcomes After Suprapatellar Versus Infrapatellar Nailing for Tibia Fractures? A Systematic Review of 1447 Patients.” Journal of Orthopaedic Trauma. 2021 Aug;35(8):391–400. doi: 10.1097/BOT.0000000000002043.

 

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar