Leia mais:
Leia mais:
IM/ACP 2021: dicas práticas sobre intoxicações agudas
Caso Flordelis: Como identificar uma intoxicação por arsênio?
Terapia de substituição renal no tratamento de intoxicações em crianças
Como identificar os principais sintomas da intoxicação por agrotóxicos?
Metemoglobinemia (Conduta médica em Emergência)

Intoxicação aguda por agrotóxicos: como realizar a abordagem adequada (Parte I)

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

No Brasil, a exposição humana a agrotóxicos é um importante problema de saúde pública. Nos últimos anos, a comercialização de agrotóxicos vem aumentando acompanhada pelo aumento do número de registros de intoxicações exógenas relacionadas a esses produtos. Os principais casos estão relacionados a intoxicações acidentais por grupos vulneráveis (trabalhadores rurais, profissionais de empresas da agricultura, de indústria produtora e formuladora, desinsetizadores e aplicadores de agrotóxicos em campanhas de saúde pública, principalmente).

As intoxicações por agrotóxicos são caracterizadas por desequilíbrio fisiológico com manifestações clínicas variadas, de acordo com a classe das substâncias, sendo apresentadas de forma aguda e crônica, com manifestação leves, moderadas ou graves, a depender da quantidade da substância química absorvida, do tempo de absorção, da toxicidade do produto, da suscetibilidade do organismo e do tempo decorrido entre a exposição e o atendimento médico.

As principais formas de exposição aos agrotóxicos podem ser de natureza acidental, ocupacional, ambiental, por tentativa de suicídio ou homicídio. Considera-se como caso suspeito de intoxicação por agrotóxicos todo indivíduo que, tendo sido exposto, apresente sinais e sintomas clínicos de intoxicação ou alterações laboratoriais compatíveis.

agrotóxicos

Abordagem inicial 

Frente a um paciente em que se suspeite de intoxicação aguda por agrotóxicos, a avaliação inicial deverá coletar o maior número de informações no menor tempo possível:

  • Quem é o paciente? Incluindo histórico de uso de medicamentos, doenças agudas e crônicas, uso de álcool e drogas ilícitas;
  • O que foi utilizado e qual a quantidade? Verificar disponibilidade da embalagem e bula do produto;
  • Qual a via de exposição? Oral, dérmica, inalatória ou intravenosa;
  • Onde? Obter dados sobre o local de exposição;
  • Como? Determinar as circunstâncias em que ocorreu a exposição ao agrotóxico (acidental, ocupacional, tentativa de autoextermínio, agressão, ambiental [vazamentos ou deriva de pulverização durante a aplicação]) e a intenção de uso do produto;
  • Há quanto tempo? Da exposição ao agente até a chegada no ambiente hospitalar.

Familiares e acompanhantes serão muito úteis para fornecimento de informações, principalmente quando os pacientes estiverem com alteração de consciência e/ou forem crianças.

Realize breve exame físico, no contexto do suporte vital, para identificar as medidas imediatas necessárias para estabilizar o paciente. O exame deve incluir a verificação dos sinais vitais, do nível de consciência, a avaliação do diâmetro e a reatividade das pupilas (diâmetro e reatividade à luz), a temperatura e a umidade da pele, a instalação da oximetria de pulso e a medida da glicemia capilar, se disponíveis.

Pacientes assintomáticos ou que apresentem sintomas leves normalmente não requerem hospitalização. O paciente deve ser monitorado durante um período mínimo de seis a doze horas.

Considere a possibilidade de a intoxicação ser resultante da combinação de diversas substâncias, visto que as formulações de agrotóxicos podem ter diferentes combinações de princípios ativos e adjuvantes, os quais podem alterar as manifestações clínicas da intoxicação. Além disso, pode ocorrer exposição simultânea a agrotóxicos e outros agentes (medicamentos, álcool e outras drogas). Estes podem ter manifestações similares ou antagônicas.

O paciente intoxicado pode apresentar amplo espectro de manifestações clínicas que poderiam ser explicadas por outras causas, como traumatismos, alterações neurológicas ou metabólicas, o que confunde o estabelecimento do diagnóstico. Há, também, a possibilidade da existência de comorbidades, que não devem ser negligenciadas.

Considere também a possibilidade de manifestações ou toxíndromes mistas ou parciais, por não ter transcorrido tempo suficiente para que se observem as manifestações plenas.

Em pacientes pediátricos, é importante suspeitar de intoxicação em episódios de início súbito com comprometimento do estado geral.

Leia também: Como cuidar de alguém com intoxicação alcoólica no plantão?

Contato com equipe especializada

No Brasil temos os Centros de informação e assistência toxicológica, serviços regionais gratuitos, com assistência remota (via telefônica) por equipe especializada em toxicologia que orienta diagnóstico e conduta em casos suspeitos e confirmados de intoxicações. Este serviço é extremamente útil e pode fazer toda a diferença em casos com manifestações clínicas atípicas, de difícil identificação ou em caso de dúvidas em relação ao manejo.
No site da Associação Brasileira de Centros de informação e assistência toxicológica (Abracit), há uma lista com todos os telefones para contato dos centros de intoxicações regionais. O número gratuito do disque-intoxicação é 0800 722 6001.

Ficou interessado pelo manejo de intoxicações agudas? O Portal PEBMED preparou uma série de artigos relacionados ao assunto e a parte II fala sobre as síndromes relacionadas às intoxicações, também chamadas de toxíndromes.

Referências bibliográficas:

  • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Saúde Ambiental, do Trabalhador e Vigilância das Emergências em Saúde Pública. Diretrizes brasileiras para o diagnóstico e Tratamento de intoxicação por agrotóxicos [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Saúde Ambiental, do Trabalhador e Vigilância das Emergências em Saúde Pública – Brasília: Ministério da Saúde, 2020.
  • Mycyk MB. Intoxicação e overdose por fármacos ou drogas. In Jameson JL, Kasper DL, Longo DL, Fauci AS, Hauser SL, Loscalzo J. Medicina interna de Harrison. 20 ed – Porto Alegre: AMCH, 2020.
  • Costa JVG, Rodrigues CG, Amoroso D, Marino LO. Manejo inicial das intoxicações exógenas. In: Velasco IT, Brandão Neto RA, de Souza HP, ed. Medicina de emergência: abordagem prática. 13 ed. Barueri-SP: Manole, 2019.
Autor(a):

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades
Referências bibliográficas:

    O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

    Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.