Anestesiologia

Morte encefálica: faz sentido um anestesista em uma cirurgia para doação de órgãos?

Tempo de leitura: 2 min.

Em torno do conceito de morte encefálica podem existir discussões quando algumas premissas não estão bem estabelecidas – quando a mídia divulga casos de processos jurídicos de alcance nacional, as distorções podem ainda ser maiores. Uma vez que a data e hora do óbito já estão definidas, por exemplo, poderia existir o seguinte questionamento: é dispensável a presença de um anestesiologista na cirurgia de captação de órgãos?

Manejo

O manejo dos órgãos do doador falecido acontece inicialmente na unidade de terapia intensiva, continua no centro-cirúrgico durante o procedimento e vai além do controle hemodinâmico. O Brasil possui o maior sistema público de transplante do mundo. Aqui, a grande maioria dos órgãos transplantados são provenientes de doadores falecidos – ao anestesiologista cabe a responsabilidade primária não de controlar a dor, mas manter a oxigenação e perfusão dos órgãos até sua retirada.

A anestesia é usada para amenizar a resposta fisiológica resultante da morte encefálica e otimizar as condições de transplantabilidade específicas. Durante o procedimento, é importante, de forma geral, corrigir distúrbios hidro-eletrolíticos, manejar balanço hídrico (utilizando cristaloides ou coloide como albumina – amidos devem ser evitados), manter adequados os parâmetros de pressão arterial média (início de vasopressina em bolus ou infusão contínua visando tratar a vasoplegia, o que auxiliaria também no tratamento do Diabetes insipidus, distúrbio endócrino comum nesse contexto) e de débito urinário, fazer controle glicêmico, controlar reflexos simpáticos e efetuar o bloqueio neuromuscular, indicar transfusão de hemocomponentes e hemoderivados quanto necessário.

Telemedicina: uma realidade para a anestesia também?

Contexto nacional

Infelizmente, esbarramos no Brasil com os problemas de saúde pública fazendo com que muitas vezes a otimização do doador não ocorra devido, por exemplo, à escassez na reserva nos Bancos de Sangue ou a falta de medicações ou monitorização adequada.

Além das medidas citadas, a partir do momento em que se conhece quais órgãos serão captados, existem estratégias específicas a serem utilizadas.

Na captação de pulmões, por exemplo, objetiva-se balanço hídrico negativo ou equilibrado além de parâmetros específicos de volume corrente (Vt), Peep, FiO2 visando ventilação mecânica protetora a fim de que a injuria pulmonar e a modulação inflamatória sejam minimizadas levando a melhores desfechos  no paciente receptor. A equipe cirúrgica pode solicitar manobras específicas utilizando a ventilação mecânica para avaliar adequadamente o órgão. Pacientes muito hidratados também prejudicam a condição de outros órgãos como fígado e coração. Existem evidências de sobre o efeito cardioprotetor de pré-condicionamento isquêmico, também nesses casos, com o uso de anestésicos inalatórios.

Saiba mais: Dia Nacional da Doação de Órgãos

Conclusão

Diante disso, fica bem esclarecido que a capacitação dada ao médico especialista em anestesia se enquadra na complexidade do cuidado com o doador falecido para que seja manejado da melhor forma a fim de beneficiar os diversos pacientes receptores seus órgãos.

Compartilhar
Publicado por
Ana Emília Teófilo Salgado

Posts recentes

Quando pensar em traumatismo por abuso em crianças? (caso clínico)

Como reconhecer um caso de traumatismo por abuso em crianças? No clinical drops, você recebe…

13 horas atrás

WONCA 2022: Congresso abre discussões sobre importância da Medicina da Família em tempos atuais

Acompanhe a cobertura completa do congresso internacional de medicina de família (WONCA 2022) aqui no…

17 horas atrás

O impacto de dez comorbidades na mortalidade por SDRA

Estima-se que a síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) representa 10,4% do total de internações…

17 horas atrás

CDC aprova o uso da vacina Moderna contra covid-19 para crianças de 6 a 17 anos

O CDC aprovou, por unanimidade, o uso da vacina contra covid-19 da Moderna para crianças…

19 horas atrás

Qual o melhor tratamento para a artrite reumatoide? Estudo de vida real compara DMARDs biológicos e sintéticos alvo específicos

Estudo que comparou a efetividade de quatro diferentes bDMARDs e tsDMARDs no tratamento da artrite…

21 horas atrás

Caso raro: em cirurgia inédita no Brasil, médica queima tumor de bebê dentro do útero materno

Em cirurgia inédita no Brasil, um bebê de 29 semanas de gestação passou por um…

22 horas atrás