Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cardiologia / Novo escore ajuda a prever risco de FA paroxística após um AVC
FA paroxística

Novo escore ajuda a prever risco de FA paroxística após um AVC

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

Detectar fibrilação atrial (FA) em pacientes que tiveram um acidente vascular cerebral (AVC) é importante, pois afeta diretamente o tratamento, já que a anticoagulação oral é recomendada nessa população. No caso da FA paroxística, recomenda-se para rastreio monitorização por ECG prolongado de 72 horas. Um novo estudo, publicado na Neurology em dezembro, indica um novo escore para ajudar médicos a selecionar quem são os pacientes que devem receber essa monitorização prolongada.

Para chegar a esse escore, pesquisadores utilizaram dados individuais de pacientes de três estudos prospectivos (n = 1.556), que realizaram monitoramento prolongado com ECG-Holter (no mínimo 72 horas) após um ataque isquêmico transitório (AIT) ou AVC. A partir de um modelo de previsão multivariável para diagnóstico individual (TRIPOD guidelines), pesquisadores definiram o escore AS5F.

Novo escore para predição de FA paroxística

FA paroxística foi detectada em 77 de 1.556 pacientes (4,9%) durante as 72 horas de Holter. Após a análise de regressão logística com seleção de variáveis, idade e evento qualificativo do AVC (NIHSS ≤ 5 [odds ratio 2,4 vs AIT; IC 95%: 0,8 a 6,9, p = 0,112] ou NIHSS > 5 [odds ratio 7,2 vs AIT; IC 95%: 2,4 a 21,8, p <0,001]) foram preditivos para a detecção de FA paroxística e incluídos no escore final:

Idade: 0,76 pontos / ano, gravidade do AVC NIHSS ≤ 5 = 9 pontos, NIHSS > 5 = 21 pontos; para encontrar FA (AS5F).

O grupo de alto risco definido por AS5F foi caracterizado por um risco previsto entre 5,2% e 40,8% para detecção de FA paroxística, com um número necessário para rastreio de 3 para os pontos mais elevados de AS5F observados na população do estudo.

De acordo com os autores do artigo, o escore AS5F pode selecionar pacientes para monitoramento prolongado por ECG para detectar FA paroxística após um AVC isquêmico.

LEIA TAMBÉM: AVC isquêmico – escore PREMISE é confiável na previsão do risco de morte?

Referências:

  • Development and validation of a score to detect paroxysmal atrial fibrillation after stroke. Timo Uphaus, Mark Weber-Krüger, Martin Grond, Gerrit Toenges, Antje Jahn-Eimermacher, Marek Jauss, Paulus Kirchhof, Rolf Wachter, Klaus Gröschel. Neurology Jan 2019, 92 (2) e115-e124; DOI: 10.1212/WNL.0000000000006727

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.