Endocrinologia

Novo medicamento tem bons resultados em pacientes com diabetes e doença renal crônica

Tempo de leitura: 2 min.

Finerenona é um antagonista do receptor mineralocorticoide seletivo, não esteroidal. Dados de modelos de laboratório indicam que o medicamento diminui a inflamação e a fibrose, provavelmente pela redução da atividade do receptor mineralocorticoide.

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Finerenona

O finerenona foi testado em um estudo, financiado pela Bayer e publicado no NEJM, que mostrou redução no risco de progressão da doença renal crônica (DRC) em pacientes com diabetes tipo 2.

Trata-se de um estudo fase 3, em que foram randomizados cerca de 5700 adultos com diabetes e DRC, que estavam tomando uma dose máxima de inibidor da enzima de conversão da angiotensina ou bloqueador do receptor da angiotensina. Um grupo recebeu finerenona oral diariamente, enquanto o outro recebeu placebo.

O desfecho primário foi definido como insuficiência renal, redução de pelo menos 40% na Taxa de filtração glomerular em relação à linha de base por pelo menos 4 semanas ou óbito por causas renais.

Leia também: Metformina e o risco de acidose láctica na doença renal crônica: o que fazer?

Os pacientes foram acompanhados por uma média de 2,6 anos e o desfecho primário ocorreu significativamente menos frequentemente com finerenona do que com placebo (17,8% vs. 21,1%). O grupo da finerenona também teve uma incidência significativamente menor de mortalidade cardiovascular ou hospitalização por ICC. No geral, a frequência de eventos adversos foi semelhante nos dois grupos.

Mensagem prática

  1. Em pacientes com DRC e diabetes tipo 2, o tratamento com finerenona resultou em menores riscos de progressão da DRC e eventos cardiovasculares do que o placebo.
  2. Outros estudos fase 3 com antagonistas de receptores mineralocorticoides são aguardados.
  3. Cabe ressaltar que a estratégia de reduzir hiperaldosteronismo relativo em pacientes com DRC parece um caminho promissor.

Autora:

Referências bibliográficas:

  • Bakris, G. L., Agarwal, R., Anker, S. D., Pitt, B., Ruilope, L. M., Rossing, P., … Filippatos, G. (2020). Effect of Finerenone on Chronic Kidney Disease Outcomes in Type 2 Diabetes. New England Journal of Medicine. doi: 10.1056/nejmoa2025845 https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa2025845
  • Ingelfinger, J. R., & Rosen, C. J. (2020). Finerenone — Halting Relative Hyperaldosteronism in Chronic Kidney Disease. New England Journal of Medicine. doi:10.1056/nejme2031382
Compartilhar
Publicado por
Dayanna de Oliveira Quintanilha

Posts recentes

Blog do Nurse: live “O suicídio como um problema de saúde pública”!

Na próxima segunda-feira (27/09), às 20h, o Nursebook convida Cleudo Menezes e Rafael Polakiewicz para…

2 horas atrás

Podcast Integrado: prevenção ao Suicídio: como detectar fatores de risco? [podcast]

Confira o podcast dos canais da PEBMED sobre fatores de risco na prevenção ao suicídio.…

2 horas atrás

Como diferenciar doenças inflamatórias desmielinizantes em crianças por exames de imagem?

“Crianças não são adultos em miniatura”. Devemos nos lembrar disso na avaliação das doenças desmielinizantes…

3 horas atrás

Qual é o melhor tratamento para fraturas do terço distal do rádio a longo prazo em idosos?

Um estudo avaliou qual é o melhor tratamento a longo prazo para fraturas instáveis do…

4 horas atrás

Prorrogadas as inscrições para o edital voltado aos preceptores em programas de residência

A prorrogação Capacitação em Gestão de Programas de Residências em Saúde foi publicada na edição…

6 horas atrás

Avanços no tratamento da fibrose cística

A fibrose cística é uma doença monogênica autossômica recessiva causada por mutações no gene CFTR,…

7 horas atrás