Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Coronavírus / Parecer da SBP sobre o uso da hidroxicloroquina em crianças e adolescentes com Covid-19
Cápsulas representando doses de cloroquina e hidroxicloroquina não recomendadas para pacientes diagnosticados com Covid-19

Parecer da SBP sobre o uso da hidroxicloroquina em crianças e adolescentes com Covid-19

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

O Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou, em 29 de maio de 2020, um parecer científico sobre o uso da cloroquina/hidroxicloroquina para tratamento da Covid-19 em crianças e adolescentes.

No parecer, a SBP destaca que, mesmo com as observações de que casos graves de Covid-19 em crianças e adolescentes sejam menos frequentes, a disponibilização de um tratamento efetivo, seguro e de fácil administração é necessária, pois não há como prever quais pacientes apresentarão uma evolução desfavorável em pediatria. Contudo, até o momento, nenhum medicamento antiviral foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) para tratamento da Covid-19, apesar de existirem estudos in vitro que demonstram efetividade da cloroquina e hidroxicloroquina em inibir a replicação viral. O FDA permitiu o uso emergencial desses medicamentos para pacientes graves com Covid-19, ainda que não haja estudos que evidenciem sua segurança e eficácia.

Cloroquina

No Brasil, é liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Indicações:

  • Profilaxia e tratamento de malária por Plasmodium vivax, Plasmodium ovale e Plasmodium malarie;
  • Tratamento de amebíase hepática;
  • Tratamento da artrite reumatoide, do lúpus eritematoso sistêmico, do lúpus discoide, da sarcoidose e das doenças de fotossensibilidade (como porfiria cutânea tardia e erupções polimórficas graves desencadeadas pela luz), em conjunto com outros medicamentos.

Eventos adversos:

  • Alterações gastrintestinais;
  • Distúrbios visuais, urticária;
  • Efeitos cardiovasculares (hipotensão, vasodilatação, supressão da função miocárdica, arritmias cardíacas, alargamento do complexo QRS e anormalidade da onda T, bloqueio AV, cardiomiopatia, parada cardíaca);
  • Efeitos no sistema nervoso central (cefaleia, confusão, convulsões e coma).

Ouça também: Check-up Semanal: novo estudo com hidroxicloroquina, prognóstico da Covid-19 e mais! [podcast]

Hidroxicloroquina

Também liberada pela Anvisa.

Indicações:

  • Tratamento de malária por Plasmodium vivax, Plasmodium ovale, Plasmodium malariae e cepas sensíveis de Plasmodium falciparum;
  • Afecções reumáticas e dermatológicas, como artrite reumatoide, artrite reumatoide juvenil, lúpus eritematoso sistêmico, lúpus discoide e condições dermatológicas provocadas ou agravadas pela luz solar.

Eventos adversos:

  • Alterações gastrintestinais;
  • Cefaleia;
  • Alterações visuais;
  • Alterações cardíacas (distúrbios de condução como bloqueio de ramo/bloqueio átrio — ventricular, hipertrofia biventricular);
  • Erupções cutâneas;

Posicionamento da SBP

Após extensa busca na literatura disponível sobre Covid-19, não foram observados estudos clínicos, randomizados e controlados que apresentem resultados consistentes e favoráveis à administração de cloroquina ou hidroxicloroquina, sejam eles associados ou não a antibióticos macrolídeos, tanto para a população de pacientes adultos quanto de pacientes pediátricos. Há escassez de dados tanto para o uso profilático em populações que estejam enfrentando situações epidemiológicas de elevada atividade da doença quanto para o uso precoce no tratamento de casos ambulatoriais, sem gravidade.

Não foram encontrados estudos publicados sobre o uso desses medicamentos em crianças. Também não há estudos com evidências de benefício no tratamento da Covid-19 em pacientes com imunossupressão ou neoplasias. Por fim, a Organização Mundial de Saúde (OMS) comunicou, em 25 de maio de 2020, a interrupção temporária do braço do estudo que abrangia o uso da cloroquina e a hidroxicloroquina na busca de um tratamento contra a Covid-19, depois que os últimos resultados clínicos foram anunciados.

Portanto, não existem dados que suportem a segurança e a eficácia da administração de cloroquina ou de hidroxicloroquina em pacientes pediátricos com Covid-19, tanto em casos leves, quanto casos moderados ou graves. A SBP aconselha que a utilização destes medicamentos seja reservada somente para crianças e adolescentes que estejam em estudos clínicos controlados, com o consentimento de seus pais e ou responsáveis.

Autor:

Referências bibliográficas:

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Cloroquina/Hidroxicloroquina para o tratamento da COVID-19 em crianças e adolescentes: Parecer Científico da Sociedade Brasileira de Pediatria. 2020. Disponível em: https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/covid-19-sbp-divulga-posicionamento-sobre-uso-da-cloroquina-ou-da-hidroxicloroquina-em-criancas-e-adolescentes/ Acesso em: 30/05/2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.