Ginecologia e Obstetrícia

Parto vaginal está associado a menor incidência de doenças alérgicas

Tempo de leitura: 2 min.

O parto vaginal, quando não possui contraindicações, é a via de nascimento mais fisiológica para o binômio mãe e bebê, assim como a amamentação, que não há suprimento melhor para o recém-nato. Desse modo, um estudo coorte recentemente apresentado em Houston no Asthma & Immunology 2019 Annual Scientific Meeting evidenciou os impactos positivo da associação parto vaginal e amamentação ao longo de 18 anos.

O estudo analisou registros de 158.422 crianças para avaliar a influencia da via de parto ao nascimento e amamentação nas condições alérgicas de cada jovem no período de 18 anos. As condições alérgicas avaliadas foram: dermatite atópica, alergia alimentar media por Ig E, rinite alérgica e asma.

O resultados encontrados após os ajustes de sexo e raça, foram de que o criança nascidas por parto vaginal apresentavam significativamente menor incidência de dermatite atópica, alergia alimentar media por Ig E, rinite alérgica e asma, quando comparada com crianças nascidas de parto cesáreo (RR 0,89, 0,83, 0,84 e 0,79 – respectivamente).

Quer receber as principais novidades em Ginecologia e Obstetrícia? Inscreva-se aqui!

Quando comparado com o Brasil, os EUA tem um incidência menor de cesariana, desse modo esse estudo vem para reforçar ainda mais a importância do parto vaginal. Segundo o estudo, esse resultado reforça a teoria que o canal de parto promove uma introdução microbiana ao feto.

As crianças as quais haviam sido amamentadas exclusivamente apresentaram redução significativamente estatística na incidência de dermatite atópica, alergia alimentar media por Ig E e rinite alérgica ( RR 0,74, 0,75, 0,89 – respectivamente). Já as crianças que receberam amamentação complementada, apresentaram uma redução significativa na incidência de uma condição alérgica (RR 0,94) – todavia, não houve significância estatística quando comparadas mais doenças.

Esses resultados só vêm reforçar ainda mais a importância do aleitamento materno, seja a curto ou a longo prazo. Assim como a importância do parto vaginal, uma vez que em nosso país ainda há uma alta incidência de cesariana.

Mais da autora: Sequenciamento genético pode evitar aborto de repetição?

Autor:

Referência bibliográfica:

  • Vaginal Birth and Breastfeeding Linked to Less Allergy – Medscape – Nov 12, 2019.
Compartilhar
Publicado por
Camilla Luna

Posts recentes

Covid-19: Ministério da Saúde anuncia que adolescentes receberão vacina após primeira dose de toda população adulta

Foi anunciado que adolescentes de 12 a 17 anos serão incluídos no Plano Nacional de…

22 minutos atrás

Asma em Criança: atenção em tempos de Covid-19 [podcast]

Neste episódio do Whitecast, a Drª Dolores Silva, especialista em pediatria e conteudista do Whitebook,…

23 horas atrás

Meta-análise: A prática de atividade física e a influência sobre as imunizações

Alguns estudos já chamam a atenção da necessidade da boa saúde advinda de atividade física…

23 horas atrás

Esôfago curto: Estudo revisa questões históricas e atuais relacionadas ao seu tratamento

O trabalho publicado na Annals of Surgery revisa questões do tratamento da doença do refluxo…

1 dia atrás

Suplementação de ômega-3 pode retardar o envelhecimento acelerado relacionado ao estresse 

Vários estudos foram realizados e evidenciou-se que a suplementação diária com ômega 3 estaria relacionado…

1 dia atrás

Anvisa recebe pedido de uso emergencial de vacina contra Covid-19 da Sinopharm

A Anvisa recebeu uma solicitação de autorização temporária para uso emergencial para a vacina contra…

1 dia atrás