Página Principal > Hematologia > Pesquisa identifica complicações em portadores de traço falciforme
hipertensão e diabetes

Pesquisa identifica complicações em portadores de traço falciforme

Tempo de leitura: 2 minutos.

O traço falciforme acontece quando o indivíduo herda de um dos pais os genes causadores da anemia falciforme, porém não manifesta os sintomas da doença. No entanto, há a possibilidade de o portador transferir esses genes pra seus descendentes, que podem contrair a anemia falciforme, caracterizada pela deformação da hemácia que fica no formato de “foice”, fazendo com que essas células transportem com dificuldade o oxigênio no sangue e causem anemia.

Leia mais: Anemia falciforme: apresentação clínica e abordagem diagnóstica

Apesar de assintomáticos, indivíduos com este tipo de gene podem desenvolver complicações circulatórias, embolia pulmonar e problemas nos rins. Em um estudo revisional, pesquisadores investigaram os possíveis desfechos que portadores do traço falciforme poderiam ter no futuro. A pesquisa analisou sistematicamente 41 estudos de coorte populacional ou de controle e identificaram algumas doenças relacionadas a este tipo de condição hereditária.

As informações foram obtidas de bancos de dados de diversas pesquisas realizadas entre 1970 e 2018,e os resultados foram publicados em novembro deste ano na revista Annals of Internal Medicine. Os principais eventos identificados foram:

  • Complicações renais: a pesquisa observou alto risco de hematúria, doença renal crônica, proteinúria, albuminúria e, em alguns casos, houve a presença de insuficiência renal terminal.
  • Complicações vasculares: foram identificados altos riscos para o desenvolvimento de tromboembolismo venoso (Hazard ratio 1,6; IC 95% [1,05 a 2,45]) e embolia pulmonar (HR 3,9; IC 95% [2,2 a 6,9]). Não foram observados indícios de insuficiência cardíaca, infarto agudo do miocárdio ou hipertensão em pacientes com o traço falciforme
  • Em uma das análises foi identificado um pequeno risco para o desenvolvimento de lesão por esforço repetitivo (LER), principalmente a rabdomiólise em indivíduos portadores do gene. (Hazerd ratio ajustada 1,54; IC 95% [1,12 a 2,12]).
  • Não houve influência do traço falciforme no peso e na altura de crianças com o gene.

Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.