Página Principal > Clínica Médica > Prescrição guiada por PCR no paciente DPOC reduz uso de antibiótico?
pcr antibioticos

Prescrição guiada por PCR no paciente DPOC reduz uso de antibiótico?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A prescrição de antibióticos é uma preocupação mundial, principalmente por causa da crescente resistência das bactérias aos medicamentos. Na atenção primária em saúde, ocorre a maioria das prescrições e há razões para acreditar que boa parte destas poderiam ser evitadas. No caso de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), a orientação atual é que os antibióticos sejam prescritos com base em critérios clínicos (dispneia, volume e purulência do escarro), mas essa avaliação é bastante subjetiva. Um estudo do NEJM propôs o uso da Proteína C reativa (PCR) para ajudar na redução com segurança do uso de antibióticos em pacientes com DPOC na atenção primária.

Seria a “PCR point-of-care” uma fermenta confiável?

Foi realizado um estudo multicêntrico, aberto, randomizado, controlado, envolvendo pacientes com diagnóstico de DPOC em seu prontuário. Os doentes foram designados para receber cuidados habituais em dois grupos: guiado por teste “point-of-care” da PCR ou apenas o tratamento usual. Os médicos foram instruídos ​​de que os antibióticos são pouco benéficos para a PCR menor que 20 mg / L, são possivelmente benéficos para a PCR de 20-40 mg / L e são provavelmente benéficos para a PCR acima de 40 mg / L.

Os desfechos primários foram o uso de antibióticos relatados pelo paciente para exacerbações agudas de DPOC dentro de 4 semanas após a randomização e relacionada à DPOC, além do estado de saúde em 2 semanas após a randomização, conforme medido pelo Questionário Clínico, uma escala de 10 itens.

Resultados

O estudo mostrou que os pacientes do grupo PCR foram significativamente menos propensos do que os controles a relatar o uso de antibióticos dentro de 4 semanas após a randomização (57% vs. 77%). Foi descoberto também que o teste da PCR resultou em menor porcentagem de pacientes que receberam uma prescrição de antibiótico para exacerbação da DPOC na consulta inicial e durante as 4 semanas subsequentes.

Por fim, um dos achados mais importantes foi que a diferença entre grupos nas pontuações do Questionário Clínico de DPOC durante o seguimento foi menor do que a diferença clinicamente importante mínima publicada. Isso indica que a redução no uso de antibióticos e menos prescrições de médicos não comprometeram a qualidade de vida específica da doença relatada pelo paciente.

O estudo sugere que a prescrição de antibióticos guiados por PCR para exacerbações de DPOC em clínicas de cuidados primários pode reduzir uso de antibióticos relatados pelo paciente e a prescrição de antibióticos pelos médicos. Aguardamos novos estudos que esclareçam a aplicabilidade clínica desta estratégia, que pode ser uma arma na luta contra a resistência bacteriana.

Autora:

Referências:

  • Butler et al. C-Reactive Protein Testing to Guide Antibiotic Prescribing for COPD Exacerbations. N Engl J Med 2019; 381:111-120. DOI: 10.1056/NEJMoa1803185. July 11, 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.