Quais as evidências sobre testagem da Covid-19 no perioperatório ortopédico?

Um recente artigo publicado no Journal of Clinical Orthopaedics and Trauma discorre sobre a evidência na testagem para Covid-19 de pacientes ortopédicos.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

Um recente artigo publicado no Journal of Clinical Orthopaedics and Trauma discorre sobre a evidência na testagem para Covid-19 de pacientes ortopédicos. Questões envolvendo estratégias de prevenção e rastreio são analisadas com base na literatura disponível baseadas em quatro cenários.

cirurgiões realizando cirurgia ortopédica em paciente com Covid-19

Perioperatório ortopédico e Covid-19

1. Todos os pacientes submetidos à intervenção cirúrgica devem ser testados para Covid-19?

Considerando a disponibilidade limitada dos testes disponíveis, apenas pacientes sintomáticos, pacientes assintomáticos com história de contato com casos confirmados e pacientes de alto risco são testados. Considerando a alta prevalência de infecções assintomáticas e o potencial de transmissão destes pacientes, todos os casos que necessitam de intervenção ortopédica devem ser considerados positivos para Covid-19, devendo ser gerenciados de forma semelhante aos pacientes confirmados desde a entrada no hospital até a alta.

2. Qual momento para o teste e para a cirurgia em casos sintomáticos?

Todos os pacientes sintomáticos devem ser submetidos ao teste Covid-19 pelo teste de RT-PCR (reverse-transcriptase polymerase chain reaction) da nasofaringe ou orofaringe antes da cirurgia, sempre que possível. Para cirurgias de emergência, o resultado dos testes não estará disponível a tempo de se executar o procedimento.

Considerando também o potencial de testes falsos negativos, as precauções perioperatórias precisam ser as mesmas para todos os pacientes independentemente do status do teste. O teste é feito com o propósito de notificação da doença, início do monitoramento precoce e medidas de terapia relacionadas ao Covid-19.

Em caso de cirurgias em que seja possível aguardar, a cirurgia deverá ser adiada até que ocorra obtenção do status negativo da doença ou recuperação da doença aguda. Cirurgias em pacientes com Covid-19 estão associadas à maior chance de morte/complicações. Se o adiamento da cirurgia não é viável, procedimentos menos invasivos devem ser realizados para minimizar o estresse cirúrgico.

cadastro portal

3. Testes pré-operatórios de rotina são o suficiente?

De acordo com as evidências disponíveis, a população saudável mais jovem apresenta taxas de recuperação mais altas após a doença em comparação com população idosa. Os pacientes mais jovens podem tolerar a cirurgia melhor do que os idosos.

Assim, pacientes idosos com idade superior a 50 anos ou aqueles com fatores de risco adicionais devem passar por investigações adicionais incluindo contagem diferencial de leucócitos, dosagem de LDH, coagulograma e tomografia computadorizada. Os exames de sangue podem sugerir infecção subclínica, e os achados TC de tórax podem detectar alterações precoces, que embora não sejam específicas da Covid-19, podem alertar o cirurgião. De acordo com os resultados, a necessidade de avaliação adicional com testes específicos e o adiamento da cirurgia podem ser necessários devido ao risco de exacerbação da doença subclínica ou das comorbidades associadas.

Leia também: Características e prognóstico precoce de pacientes com Covid-19 e fraturas

4. Testes pós-operatórios e momento para alta

Todos os pacientes positivos para Covid-19 devem ser tratados por equipes médicas sob medidas apropriadas de isolamento e só devem receber alta após resultado negativo em dois testes RT-PCR com intervalo de 24h.

Para pacientes mais jovens, sem fatores de risco associados, uma alta precoce deve ser preferida considerando os riscos associados à internação. Para pacientes idosos e para aqueles com fatores de risco adicionais, a alta deve ser realizada após estabilização clínica e regularização das comorbidades.

E se, antes de tudo, você precisa saber qual a melhor conduta para o seu paciente ortopédico, é só acessar o Whitebook. O maior aplicativo médico do Brasil te ajuda na tomada de decisão frente ao paciente. Baixe agora!

Referência bibliográfica:

  • Kumar, A., Kumar, A., & Das, S. (2020). Perioperative COVID-19 testing of orthopedic patients: Current evidence. Journal of clinical orthopaedics and trauma, 10.1016/j.jcot.2020.04.031. Advance online publication. https://doi.org/10.1016/j.jcot.2020.04.031
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão