Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Enfermagem / Reflexão sobre o uso de tecnologias educacionais em tempos de crise
mulher digitando em laptop, utilizando tecnologias educacionais

Reflexão sobre o uso de tecnologias educacionais em tempos de crise

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

A sociedade sempre desfrutou da tecnologia desde o início dos tempos. A visão contemporânea de tecnologia pode não levar à compreensão sobre o que é realmente tecnologia. A tecnologia não é eletrônica simplesmente e quanto mais rápido entendermos isso, mais rápido poderemos utilizar, compreender e ensinar com e pela tecnologia.

A tecnologia é qualquer proposição que melhora a vida humana. A gente esquece de tecnologias tão úteis, como, por exemplo, o óculos, que é uma tecnologia para melhorar a visão, ou seja, evolui a humanidade sob a ótica de uma necessidade.

Podemos considerar que o próprio ser humano nasce com tecnologias diversas, uma delas é a criatividade. Esta é uma tecnologia nativa humana que é de todos e na maioria das vezes é coibida durante a vida, por outras pessoas, pelas instituições e pela própria sociedade. Portanto, para compreender tecnologia, a primeira é compreender que é necessário mudar. A mudança é em relação ao olhar sobre tecnologia, pensando tecnologia como algo muito mais amplo do que um simples produto eletrônico. É importante compreender as mudanças na medidas que elas ocorrem na sociedade.

Leia também: Vocação dos profissionais de enfermagem em tempos de crise

Tecnologias educacionais

A educação está em metamorfose, até os anos 2000, mesmo com o desenvolvimento tecnológico, não havia as relações globais com intermédio da tecnologia realizada por máquinas. As tecnologias de outrora, eram enfatizadas no relacionamento pessoal, com atributos de linguagem própria. A tecnologia já mudou muitas coisas em nossas vidas, como a gente produz, interagem e até como exercemos nossa cidadania. Agora é a vez da tecnologia mudar a forma que agente aprende e ensina, se antes a sociedade educava as pessoas para usar a tecnologia, hoje usamos a tecnologia para educar as pessoas.

Se, ao ler esse texto, haver estranhamento, repense, provavelmente está usando a tecnologia para acessar tal reflexão. A educação brasileira possui três grandes desafios. O primeiro deles é equidade. Com a tecnologia podemos ampliar o acesso dos alunos em diversas regiões mesmo que estejam em regiões longínquas e onde antes a informação não chegava. A tecnologia também possibilita a personalização do ensino, fazendo com quê cada pessoa possa buscar a sua melhor maneira de aprender. Pode-se em seu tempo, sob suas necessidades. Por último, a qualidade é outro ponto que a tecnologia contribui em desenvolvimento.

Uma característica da tecnologia educacional é que necessariamente não precisa ser eletrônica. O fato de uma pessoa assistir uma aula ou ler um conteúdo através da internet não necessariamente quer dizer que há uma tecnologia educacional presente. Observe que neste caso pode usar a tecnologia como meio de acesso, mas o conteúdo não possuir qualquer tecnologia inserida. A tecnologia se relaciona com o uso da criatividade ou seja criar soluções para problemas humanos. No caso das tecnologias educacionais, inovações que objetivam melhorar o aprendizado é um componente ligado a criatividade na busca da finalidade do aprender.

Se uma tecnologia educacional não necessariamente se relaciona com a questão eletrônica, pode um professor dentro da sala de aula, por meio da criatividade realizar uma tecnologia educacional, que tem por finalidade construir conhecimento. Isso quer dizer, da mesma forma que produtos educacionais disponibilizados na internet necessariamente, também pode não possuir nada de novo. Ou seja, podemos ter aulas tradicionais pelo conectivo eletrônico.

Veja mais: Blog do Nursebook: conheça nossa seção de administração de drogas!

Para haver uma tecnologia educacional, a partir da internet, há a necessidade de se pensar em plataformas, programas, possibilidades, além das relações humanas acertadas para que se tenha uma tecnologia educacional. A inovação é da educação e não propriamente pelo meio de comunicação.

Vivemos uma das maiores pandemias do mundo. A necessidade de adaptação a tecnologias diversas tornou-se uma realidade. As relações de trabalho, estudo e relação humana estão sendo repensadas. A crise do vírus Corona Vírus, obrigou a população e as instituições a aceitarem o contato direto com a tecnologia para fazer coisas do dia-a-dia, já que uma das mais resistentes e preservadas coisas da humanidade foi colocada em cheque, as relações humanas. Essa relação humana, cada vez mais necessita da tecnologia eletrônica em tempos onde o contato humano direto pode levar a morte.

Então, quanto às tecnologias educacionais, como avalia-las? O primeiro ponto importante é a seguridade das informações. Podemos diariamente ser educados, mas a educação pode ser negativa, portanto, corremos o risco de aprender de forma inadequada. A credibilidade do conteúdo educacional deve ser verificado, assim como se faz nas relações pessoais presenciais. Por instituições, empresas e conteudistas, que possuam formação, responsabilidade e credibilidade. Outro ponto importante é avaliar a forma. Analisar plataformas, aplicativos ou outros espaços que disponibilizem informação necessitam de participação do usuário para a construção do processo.

A construção do processo educacional, a tecnologia em si, é feita por todos, assim como qualquer ambiente de construção do saber. Cada vez mais as tecnologias educacionais trabalham sob a ótica da construção entre todos os atores, essa é uma essência que em tempos gregos ou no novo mundo, provoca a consolidação do saber. Como asa tecnologias educacionais são na maioria das vezes compreendida como qualquer ação com proposição educacional que esteja na disponível na internet, temos graves problemas o que acarreta em resistência de parte da população quanto a credibilidade de tal proposição.

Indubitavelmente, não estamos vivendo um tempo onde vamos poder escolher sobre essa utilidade. A tecnologia veio para ficar e nunca foi tão necessária. Muitos acham que afasta as pessoas, mas no atual cenário é a única coisa possível para aproximar. Assim será com a educação. A reinvenção do mundo que partia em passos mais lentos, começou a andar em uma velocidade tão grande que se tornou necessidade. E agora, precisaremos da tecnologia para nos auxiliar para aprender. E, esse local de aprendizado deve por sua vez, explorar cada vez mais esse nome: tecnologia. A tecnologia ligada a educação deve ser o meio, a forma, a finalidade, a causa e tantas outras coisas. A criatividade ela é a tecnologia e deve ser explorada cada vez mais para auxiliar a todos a aprender.

Por fim, devemos para além de compreender que a tecnologia é o futuro, mas não substituirá o fator humano. E dessa forma devemos buscar nas redes, nas plataformas, nos locais de aprendizado, ou seja, nos meios, as ações humanas que podem ou não possuir inovação, tecnologia ou criação. Dessa forma, podemos avaliar o meio e a forma. Há tecnologia no meio e na forma. Ambas devem ser construídas por todos nós. A educação é uma construção de todos nós e em tempos de crise é cada vez mais necessária.

Autor:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.