Sacubitril-valsartana tem benefício no pós-infarto imediato?

Um estudo avaliou se haveria benefício do início precoce de sacubitril-valsartana em pacientes com infarto agudo do miocárdio.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

O uso de inibidores do sistema renina angiotensina aldosterona (SRAA) faz parte do tratamento do infarto agudo do miocárdio (IAM) e reduz eventos cardiovasculares fatais e não fatais quando iniciados de forma precoce nos pacientes de mais alto risco.

O sacubitril-valsartana, que atua como inibidor do receptor da angiotensina e da neprilisina, bloqueando o SRAA e inibindo a degradação de peptídeos vasoativos, mostrou benefício em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) sintomática, que tiveram redução do risco de nova piora da IC, internação e necessidade de avaliação de urgência, além de melhora da sobrevida quando a fração de ejeção (FE) era reduzida, quando comparado a bloqueador do SRAA isolado.

Baseado nisso, foi feito um estudo para avaliar se haveria benefício do início precoce desta medicação em pacientes com IAM.

sacubitril-valsartana pode ser usado para infarto de forma precoce?

Sacubitril-valsartana pós-infarto

Foi estudo multicêntrico, internacional, randomizado, duplo cego, com objetivo de comparar se o sacubitril-valsartana seria superior ao ramipril na redução de morte cardiovascular ou ocorrência de IC no pós IAM com complicadores.

Os pacientes elegíveis eram os que não tinham IC prévia e tinham IAM entre 0,5 e 7 dias associado a FE menor ou igual a 40%, congestão pulmonar (na avaliação clínica ou radiológica) com necessidade de tratamento intravenoso, ou ambas as condições e presença de pelo menos um de oito fatores que aumentam o risco (idade maior ou igual a 70 anos, diabetes, IAM prévio, taxa de filtração glomerular (TFG) < 60 ml/min/1,73m2), fibrilação atrial (FA), FE menor que 30%, Killip III ou IV e supradesnivelamento do segmento ST sem reperfusão nas primeiras 24 horas após a apresentação).

Os critérios de exclusão eram instabilidade clínica nas 24 horas antes da randomização, TFG < 30, potássio maior que 5,2 mmol/L, história de angioedema ou impossibilidade de usar IECA ou BRA.

Os pacientes selecionados foram randomizados em uma razão 1:1 para receber sacubitril-valsartana ou ramipril até a dose máxima tolerada de cada medicação e o desfecho primário foi morte por causas cardiovasculares ou ocorrência de IC, o que ocorresse primeiro. A ocorrência de IC foi considerada como internação por IC e episódios de IC ambulatorial com necessidade de diurético intravenoso ou oral sustentado.

Leia também: ACC 2021: sacubitril + valsartana ou ramipril para pacientes com IAM e IC?

Resultados

Foram randomizados 5661 pacientes, sendo 2830 para o grupo sacubitril-valsartana e 2831 para o grupo ramipril e o seguimento médio foi de 22 meses. As características de base dos pacientes foram semelhantes entre os grupos: idade média 63,7 anos, 24,1% de mulheres, terapia de reperfusão, geralmente intervenção coronária percutânea (ICP), em 89%, FE menor que 40% em 81,4%, congestão pulmonar em 54% e ambos os achados em 35,5%. Além disso, dupla antiagregação plaquetária foi prescrita em 92,2%, estatina em 94,9% e 41,3% receberam antagonista mineralocorticoide. IECA ou BRA foi prescrito em 78,4% antes da randomização, que ocorreu na média 4,3 dias após a apresentação.

Não houve diferença entre os grupos em relação ao desfecho primário, sendo que ocorreram 338 eventos no grupo sacubitril-valsartana e 373 no grupo ramipril (11,9% e 13,2% respectivamente, com p=0,17).

A descontinuação da medicação ocorreu em 17,7% e 18,3%, sendo por evento adverso em 12,6% e 13,4% nos grupos intervenção e controle respectivamente. O grupo sacubitril-valsartana teve mais eventos adversos relacionados a hipotensão e menor ocorrência de tosse que o grupo ramipril. A ocorrência de angioedema foi semelhante, ocorrendo em 14 e 17 pacientes. A dose alvo da medicação foi atingida em 67,5% do grupo sacubitril-valsartana e em 76,5% do grupo ramipril.

Veja mais: AHA 2021: revascularização cirúrgica precoce pós-infarto é segura quando em uso de ticagrelor?

Conclusão

Neste estudo, que avaliou o uso de sacubitril em associação a um BRA (valsartana) comparado a um IECA (ramipril) em pacientes com IAM complicado por FE reduzida ou congestão, sem história de IC prévia, não houve benefício em redução de desfecho primário.

Apesar disso, o estudo mostrou que a medicação é segura nesta população, já que a ocorrência de efeitos colaterais e exames de controle de função renal e hepática foram semelhantes entre os grupos. Talvez essa medicação seja uma opção num futuro próximo para este grupo de pacientes.

Quer segurança na hora da decisão clínica? A Med Friday do Whitebook é a oportunidade de você dar um grande passo em sua carreira! Assine com desconto o aplicativo médico que tem todas as respostas que você precisa, a um toque de distância!

Referências bibliográficas:

  • Pfeffer MA, et al. Angiotensin Receptor–Neprilysin Inhibition in Acute Myocardial Infarction. November 11, 2021. N Engl J Med 2021; 385:1845-1855. DOI: 10.1056/NEJMoa2104508
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão