Topiramato auxilia no tratamento da dependência química por cocaína? - PEBMED

Topiramato auxilia no tratamento da dependência química por cocaína?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Segundo o relatório mundial sobre drogas lançado em 2018 pela Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 6 milhões de pessoas usam cocaína em todo mundo, sendo a 6ª droga mais consumida. A substância atua como um poderoso agente simpaticomimético e causa danos severos ao coração. Em artigo recente publicado no The American Journal on Addictions, pesquisadores analisaram o uso de topiramato na dependência química por cocaína.

dependencia cocaina

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Topiramato e cocaína

Através de uma análise post-hoc de um ensaio clínico randomizado, controlado por placebo, de 12 semanas, do topiramato, os autores examinaram a relação entre a resposta ao tratamento e a pontuação dos participantes na Escala de Impulsividade de Barratt (BIS-11). A administração do medicamento anticonvulsivante foi de até 300 mg / dia durante seis semanas e mantido durante seis semanas. Todos os 142 participantes receberam terapia comportamental cognitiva semanalmente.

Sertralina é eficaz no tratamento da dependência química de cocaína?

Indivíduos com escores no BIS‐11 acima da média tiveram 11,2% mais dias livres de cocaína com topiramato do que com placebo (p = 0,047). Já entre os participantes com escores abaixo da média, a porcentagem de dias livres de cocaína não diferiu entre o topiramato e o placebo.

Conclusões

Para os autores, os resultados indicam uma associação entre maior impulsividade (medida pela BIS-11) e maior resposta ao topiramato na dependência química por cocaína. Essa descoberta pode ajudar a orientar o tratamento.

Betabloqueadores são seguros na intoxicação por cocaína?

Topiramato

Atualmente no Brasil, o uso clínico do topiramato é indicado em monoterapia para epilepsia, como adjuvante no tratamento de crises epilépticas parciais, das crises associadas à Síndrome de Lennox-Gastaut e como tratamento profilático da da enxaqueca.

Saiba mais sobre o uso do topiramato no bulário do Whitebook. Clique aqui e baixe grátis o aplicativo!

Referências:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

6 comentários

  1. Saber Amar - Clínica de Recuperação

    Muito obrigado pela dica, tudo realmente fz sentido para a recuperação de pessoas que tem este problema.

  2. Leandro Antonio

    Bom dia!

    Realmente até o momento obtivemos excelentes resultados nos tratamentos de dependência química com topiramato.

  3. Leonardo Sá

    O topiramato é excelente para tratar dependentes químicos de crack e cocaína.

  4. maria de jesus lopes de oliveira

    bom artigo Temos mais estudos que comprovam. durante quanto tempo dependente fica abstinente.

  5. Grupo Encontre Clínicas

    Olá gostei muito do seu artigo, conteudo esclarecedor vou
    compartilhar, qualquer coisa estou a disposição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar