Página Principal > Imunologia > Vacina contra HIV: testes em humanos começarão no Brasil
vacinação

Vacina contra HIV: testes em humanos começarão no Brasil

Tempo de leitura: 2 minutos.

A prevenção combinada é a estratégia atual de prevenção do HIV e inclui algumas ações como: prevenção da transmissão vertical, programas de redução de danos para usuários de álcool e outras substâncias, profilaxia pré-exposição (PrEP), profilaxia pós-exposição (PEP) e o tratamento de pessoas que já vivem com HIV.

Em breve, pode ser que a vacina contra o HIV se incorpore a esta lista. Após pesquisas iniciais, uma vacina contra o HIV considerada promissora entrará em uma fase avançada, de teste em humanos. 

O estudo, conhecido como Mosaico, será conduzido em aproximadamente 55 centros clínicos em oito países, inclusive no Brasil, contando com a participação de cerca de 3.800 indivíduos. O objetivo será avaliar se um regime de vacina experimental pode prevenir de forma segura a aquisição de HIV entre homens que fazem sexo com homens e transexuais. O estudo é conduzido pelo National Institutes of Health e parceiros, além de contar com o patrocínio Janssen Pharmaceutical Companies da Johnson & Johnson.

Saiba mais: Sobrevida de pessoas com HIV mais que dobrou nos últimos anos no Brasil

A vacina que será avaliada no Mosaico é administrada em quatro doses no período de um ano. A vacina mescla quatro vetores de adenovírus sorotipo 26, que libera um mosaico de antígenos de HIV (nas doses 1 e 4) e uma combinação de duas proteínas solúveis (nas doses 3 e 4).  Todos os participantes do estudo receberão um kit de prevenção do HIV, incluindo profilaxia pré-exposição (PrEP). 

Um outro estudo complementar, conhecido como IMBOKODO, a respeito de vacina contra o HIV, já está em andamento. Trata-se de um estudo clínico que avalia atualmente a eficácia da vacina em 2.600 mulheres de 18 a 35 anos em cinco países do sul da África. A expectativa é de que os testes do Mosaico iniciem até o fim deste ano. Os resultados iniciais do IMBOKODO e do Mosaico são esperados no final de 2021 e em 2023, respectivamente. 

Imagem do Ministério da Saúde
http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/previna-se

Autora: 

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.