Página Principal > Ginecologia e Obstetrícia > Vitamina D na gestante está associada com melhor prognóstico neonatal
vitamina d

Vitamina D na gestante está associada com melhor prognóstico neonatal

Tempo de leitura: 2 minutos.

O baixo nível materno de vitamina D é comum durante a gravidez. A suplementação durante a gestação poderia ser benéfica e segura para a prole? Em novo artigo do JAMA Pediatrics, publicado em maio, pesquisadores realizaram uma revisão sistemática e meta-análise para responder essa questão.

As bases utilizadas foram Medline, Embase e Cochrane até outubro de 2017. Ensaios clínicos randomizados de suplementação de vitamina D durante a gravidez e os resultados da prole foram selecionados. Os principais desfechos incluíram mortalidade fetal ou neonatal, malformação congênita, internação em UTI neonatal, peso ao nascer, prematuridade e morbidade respiratória na infância.

Vitamina D na gestação

No total, 24 ensaios clínicos envolvendo 5.405 participantes preencheram os critérios de inclusão. A suplementação de vitamina D durante a gravidez foi associada a um menor risco de recém-nascido pequeno para a idade gestacional (RR, 0,72; IC 95%: 0,52 a 0,99; RD, -5,60%; IC 95%: -0,86% a -10,34%), sem risco de mortalidade fetal ou neonatal (RR, 0,72; IC 95%: 0,47 a 1,11) ou anormalidade congênita (RR, 0,94; IC 95%: 0,61 a 1,43).

Tenha sempre condutas atualizadas na sua mão! Baixe gratuitamente o Whitebook.

Neonatos com suplementação pré-natal de vitamina D apresentaram maiores níveis de 25(OH)D (MD, 13,50 ng/mL; IC 95%: 10,12 a 16,87 ng/mL), níveis de cálcio (MD, 0,19 mg/dL; IC 95%: 0,003 a 0,38 mg/dL) e peso ao nascer (MD, 75,38 g; IC 95%: 22,88 a 127,88 g), em 3 meses (MD, 0,21 kg; IC 95%: 0,13 a 0,28 kg), 6 meses (MD, 0,46 kg; IC 95%: 0,33 a 0,58 kg), 9 meses (MD, 0,50 kg; IC 95%: 0,01 a 0,99 kg) e 12 meses (MD, 0,32 kg; IC 95%: 0,12 a 0,52 kg).

A análise de subgrupos por doses mostrou que uma dose baixa de suplementação de vitamina D (≤2000 UI/d) foi associada a um risco reduzido de mortalidade fetal ou neonatal (RR 0,35; IC 95%: 0,15 a 0,80), mas doses mais altas (>2000 IU/d) não reduziram esse risco (RR 0,95; IC 95%: 0,59 a 1,54).

Pelos achados, os pesquisadores concluíram que a suplementação de vitamina D durante a gravidez está associada a um risco reduzido de recém-nascido pequeno para a idade gestacional e melhora do crescimento infantil, sem risco de mortalidade fetal ou neonatal ou anormalidade congênita. Além disso, suplementação com doses de 2000 UI/d ou menos pode reduzir o risco de mortalidade fetal ou neonatal.

LEIA MAIS: vitamina D tem novos valores de referência

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Bi WG, Nuyt AM, Weiler H, Leduc L, Santamaria C, Wei SQ. Association Between Vitamin D Supplementation During Pregnancy and Offspring Growth, Morbidity, and MortalityA Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Pediatr. Published online May 29, 2018. doi:10.1001/jamapediatrics.2018.0302

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.