Página Principal > Cardiologia > Whitebook: entenda o que é a cardiomiopatia por estresse
cardiomiopatia por estresse

Whitebook: entenda o que é a cardiomiopatia por estresse

Essa semana no Portal da PEBMED, publicamos um artigo sobre a Síndrome de Takotsubo, que é um dos nomes pelo qual a Cardiomiopatia por Estresse é chamada. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, separamos a apresentação clínica e abordagem terapêutica do Cardiomiopatia por Estresse.

Veja as melhores condutas médicas no Whitebook Clinical Decision!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

Apresentação Clínica

Mais frequente em mulheres de meia idade (pós menopausa) (80% dos casos); e/ou após exposição a estresse emocional ou físico. É semelhante ao quadro de síndrome coronariana aguda (IAMCSST/ IAMSSST ou angina instável). Pode manifestar-se por: dor torácica aguda; dispneia e síncope; síndrome de insuficiência cardíaca; taquiarritmias (incluindo taquicardia ventricular e fibrilação ventricular); bradiarritmias; parada cardiorrespiratória ou choque cardiogênico (10%).

Abordagem Diagnóstica

O diagnóstico depende de uma história clínica compatível em pacientes com alterações ecocardiográficas típicas.

Exames laboratoriais de rotina: Hemograma completo, bioquímica, marcadores de necrose miocárdica, BNP, lactato, gasometria, eletrocardiograma e ecocardiograma.

Deve-se observar nos exames:

    • Eletrocardiograma (ECG): supradesnivelamento ST ou infradesnivelamento ST; prolongamento QT; inversão de onda T e muito raramente BAVT.
    • Troponina: aumento moderado pode estar presente.
    • Peptídeo natriurético (BNP): elevado na maioria dos pacientes.
    • Ecocardiograma transtorácico de urgência: sempre indicado para avaliar obstrução da via de saída do VE. Nos quadros de choque cardiogênico, deve ter caráter de urgência.
    • Ressonância magnética cardíaca: ausência de realce tardio (diferente de IAM).

Critérios Diagnósticos

Presença dos quatro critérios abaixo confirma o diagnóstico:

  • Disfunção transitória do VE em segmento médio: hipocinesia, acinesia ou discinesia; tipicamente não limitada ao território de uma única artéria epicárdica.
  • Ausência de doença coronariana obstrutiva ou evidência angiográfica de ruptura aguda de placa. Aqui, aceita-se doença coronariana em território não contemplado pela disfunção.
  • Novas anormalidades eletrocardiográficas, sendo elevação do segmento ST e/ou inversão da onda T, ou modesta elevação da troponina cardíaca.
  • Ausência de feocromocitoma ou miocardite.
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.