Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Whitebook / Whitebook: veja com é a abordagem diagnóstica da hiperêmese gravídica
whitebook

Whitebook: veja com é a abordagem diagnóstica da hiperêmese gravídica

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Essa semana no Portal da PEBMED falamos as atualizações diagnósticas e terapêuticas da hiperêmese gravídica. Por isso, em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision, separamos os critérios sobre diagnóstico e apresentação clínica da hiperêmese gravídica.

Veja as melhores condutas médicas no Whitebook Clinical Decision!

Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

Anamnese

Acomete mais frequentemente mulheres jovens, primíparas, não-fumantes e não-caucasianas.O início dos sintomas se dá geralmente entre 6 e 8 semanas de gestação, atingindo seu pico por volta de 12 semanas e resolução na maioria dos casos com 20 semanas.

Sintomas: Náuseas e vômitos frequentes (> 3 episódios/dia); anorexia; sialorreia; cefaleia; hipotensão postural; palpitação; mal estar; fraqueza e sonolência podem estar associados à desidratação;

História Patológica Pregressa: Investigar a existência de fatores de risco, como hiperêmese em gestação anterior, diabetes mellitus prévio, doença tireoideana, depressão e comorbidades psiquiátricas, asma, doenças gastrintestinais e infecção por H. pylori.

História obstétrica: Avaliar gestação múltipla, doença trofoblástica gestacional, aneuploidias e hidropsia fetal.

Exame Físico

Avaliar sinais de desidratação: Mucosas secas e pegajosas, diminuição do turgor e elasticidade da pele, lentificação do enchimento capilar, língua saburrosa, olhos encovados, taquicardia, hipotensão, oliguria, alteração de consciência.

  • Ausência de febre
  • Exame abdominal inocente.

O diagnóstico é clínico, corroborado pelas alterações laboratoriais e exclusão de diagnósticos diferenciais.

  • Hemograma completo: Avaliar hemoconcentração, excluir causa infecciosa;
  • Eletrólitos e função renal: Hiponatremia, hipocalemia, ureia e creatininas aumentadas (sinal de desidratação);
  • Gasometria arterial: Alcalose metabólica hipoclorêmica;
  • Hepatograma: Enzimas hepáticas e bilirrubina “tocadas”;
  • Amilase e lipase (salivares): Podem estar aumentadas em até 5 vezes;
  • EAS ou urina tipo 1: A cetonúria reflete o catabolismo lipídico (sem valor prognóstico);
  • Ultrassonografia: Excluir gestação molar e gestação múltipla.

  • Vômitos incoercíveis antes de 20 semanas de gravidez;
  • Perda de peso corporal > 5%;
  • Sinais de desidratação;
  • Presença de distúrbios eletrolíticos;
  • Cetonuria;
  • Exclusão de outros diagnósticos diferenciais.
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.