10 de julho, Dia da Saúde Ocular: o que o médico não oftalmologista pode fazer pelo paciente? - PEBMED

10 de julho, Dia da Saúde Ocular: o que o médico não oftalmologista pode fazer pelo paciente?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Você não é oftalmologista, eu sei. Mas hoje é dia da saúde ocular e você pode, nos seus atendimentos, prevenir doenças oculares nos seus pacientes. Como fazer isso?

10 de julho é o dia da saúde ocular! O que o médico não oftalmologista pode fazer pela saúde ocular do seu paciente?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Cuidando da saúde ocular do paciente

  • Se você é pediatra, saiba que a recomendação da SBOP (sociedade brasileira de oftalmopediatria) é que as crianças sejam levadas ao oftalmologista a cada 6 meses nos 2 primeiros anos e depois anualmente;
  • Ainda pra vocês, se você atende filhos de um pai míope a chance dele ser míope é de 1 em 3. Se ambos os pais são míopes a chance aumenta para 1 em 2. Oriente sobre a possibilidade do filho ser míope e encaminhe para que o oftalmologista acompanhe e faça o controle da miopia se necessário;
  • Seu paciente em idade escolar é alérgico e coça os olhos. Ele deve acompanhar com o alergista e com o oftalmologista. Coçar os olhos é fator de risco para o desenvolvimento de ceratocone, doença prevalente na infância;
  • Você é neurologista ou psiquiatra, seu paciente usa medicações controladas associadas a piora do quadro de olho seco. Pode ser interessante que tratemos o olho seco com lágrimas artificiais e/ ou lubrificantes em gel para amenizar os sintomas;
  • Você é endocrinologista ou clínico geral e centenas de pacientes com diabetes e hipertensão passam no seu consultório. Avaliar a possibilidade de retinopatia hipertensiva e diabética é fundamental;
  • Se o seu paciente diabético está com a glicemia descontrolada, não é um bom momento para trocar de óculos. A hiperglicemia altera o status refrativo por causar um aumento da turgência do cristalino fazendo com o que o paciente fique momentaneamente mais míope;
  • Para quem convive com a emergência, não esquema que traumas oculares estão associados ao desenvolvimento de catarata traumática, glaucoma por recesso angular e descolamento de retina. A avaliação oftalmológica no trauma de face é essencial!;
  • Paciente chegou na emergência porque deixou algum produto químico no olho. Faz o que mesmo? Lava, lava, lava e lava mais um pouco! Essa atitude salva um olho!
  • A reumatologia é cheia de doenças autoimunes associadas a alterações oftalmológicas. Fique atento aos pacientes com síndrome do olho vermelho! Nem tudo que é olho vermelho é conjuntivite e nesses pacientes em especial o diagnóstico de uveíte é mais prevalente;
  • Paciente com doença autoimune que se queixa de olho seco deve ser avaliado para a possibilidade de síndrome de Sjogren. O diagnóstico contempla o achado de sintomas oculares, a diminuição na produção de lágrima visto no teste de Schirmer e as alterações de superfície ocular visualizadas no rosa bengala ou na lisamina verde;
  • Lembra daquela lista de medicamentos que não podem ser utilizados no paciente com glaucoma agudo? Temos um texto aqui no portal falando deles… muito cuidado ao prescrevê-los!
  • Ao querido obstetra: você tem uma paciente com ceratocone? O ideal é que essa paciente seja avaliada pelo oftalmologista pré- concepção para avaliar a possibilidade de crosslinking. Os ceratocones evoluem muito na gestação e em alguns casos o tratamento pré gestacional pode ser realizado!;
  • Oncologistas e infectologistas: doenças e tratamentos associados à imunossupressão carregam sempre a possibilidade de infecções oportunistas. Não é diferente nos olhos. Se o seu paciente faz quimioterapia ou tem AIDS, a possibilidade de retinites infecciosas é maior. Todo paciente com queixa de diminuição da visão deve ser encaminhado com urgência ao oftalmologista. A necrose progressiva da retina externa (por varicela zoster) e a retinite por CMV são exemplos dessas doenças;
  • Mas o meu paciente com câncer pode ter metástase no olho? Pode sim! As metástases uveais são a principal neoplasia maligna ocular. Na maior parte dos casos atinge a coróide. Os principais sítios primários são o pulmão em homens e a mama em mulheres.

Leia também: O que os brasileiros sabem sobre saúde ocular e glaucoma? 

Cuidar da saúde ocular é uma necessidade de todo paciente é um dever de todo médico!

Autora:

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Seu conteúdo tem o objetivo de informar panoramas recentes da medicina, devendo ser interpretado por profissionais capacitados.

Para diagnósticos e esclarecimentos, busque orientação profissional. Você pode agendar uma consulta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar