Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cardiologia / AAS: interromper tratamento aumenta risco cardiovascular em 30%
homem com as duas mãos sobre o peito com dor

AAS: interromper tratamento aumenta risco cardiovascular em 30%

Acesse para ver o conteúdo

Inscreva-se gratuitamente para acessar esse conteúdo e muito mais no Portal PEBMED!

Tenha acesso ilimitado a quizzes, casos clínicos, novos estudos e diretrizes atualizadas.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: < 1 minuto.

Em novo artigo da revista Circulation, pesquisadores investigaram se interromper o AAS após uso a longo prazo em doses baixas aumenta o risco de eventos cardiovasculares.

Para isso, foi realizado um estudo de coorte com 601.527 usuários de aspirina em baixa dose para prevenção primária ou secundária, do registro de prescrição da Suécia entre 2005 e 2009, com idade > 40 anos. Todos os participantes apresentaram ≥ 80% de adesão durante o primeiro ano de tratamento.

Durante uma mediana de 3 anos de acompanhamento, ocorreram 62.690 eventos cardiovasculares. Os pacientes que descontinuaram o AAS tiveram uma taxa maior de eventos cardiovasculares do que aqueles que não interromperam o tratamento (HR 1,37; IC de 95%: 1,34 a 1,41), o que corresponde a um evento cardiovascular adicional observado por ano em 1 a cada 74 pacientes. O risco aumentou pouco após a interrupção e não diminuiu ao longo do tempo.

Em usuários de longo prazo e baixas doses, a interrupção de AAS na ausência de cirurgia ou sangramento foi associada a um risco 30% maior de eventos cardiovasculares. Com base nesses achados, os autores concluem que a adesão ao tratamento com aspirina é um objetivo importante na terapia.

Você pode ler o artigo na íntegra nesse link.

Veja também: ‘AAS: maior risco de sangramento grave em idosos’

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.