Página Principal > Medicina Interna > Como reduzir o tempo/uso de antibiótico na alta hospitalar?
caixas de antibioticos

Como reduzir o tempo/uso de antibiótico na alta hospitalar?

Queremos saber a sua opinião! Gostou de ouvir essa notícia em áudio? Clique aqui e responda nossa pesquisa.

Para a maioria das infecções comuns que requerem hospitalização, o tratamento com antibióticos é concluído após a alta hospitalar. Essa terapia pós-alta é, muitas vezes, desnecessária ou muito longa, e não confere benefícios ao paciente.

Médicos de um sistema de saúde em Denver, nos Estados Unidos, desenvolveram um programa para reduzir a duração da terapia antibiótica pós-alta e para melhorar a seleção dos antibióticos. Os resultados foram publicados na revista Infection Control & Hospital Epidemiology.

A intervenção incluiu a disseminação de diretrizes sobre a seleção e duração do tratamento antibiótico oral prescrito na alta hospitalar. Para avaliar a eficácia do programa, os autores do estudo compararam prescrições administradas na alta hospitalar a 300 pacientes pré-intervenção e 200 pós-intervenção.

O desfecho primário foi a duração total prescrita da terapia e o uso de antibióticos com atividade contra bactérias gram-negativa (fluoroquinolonas ou amoxicilina-clavulanato). As indicações mais comuns para o tratamento foram infecções do trato urinário, pneumonia comunitária e infecções cutâneas.

Como manejar o paciente com pneumonia? Baixe grátis o Whitebook e encontre as melhores condutas médicas!

Em comparação com o período pré-intervenção, o uso de antibióticos com atividade contra bactérias gram-negativa diminuiu durante a intervenção (51% vs 40%; p = 0,02), principalmente as fluoroquinolonas (38% vs 25%; p = 0,002).

A duração total da terapia diminuiu de uma mediana de 10 para 9 dias, mas não alcançou significância estatística (p = 0,13). No entanto, a duração prescrita na alta diminuiu de 6 para 5 dias (p = 0,003). Durante a intervenção, houve um aumento não significativo da adequação global das prescrições de alta de 52% para 66% (p = 0,15).

Os autores não encontraram diferenças significativas entre os grupos na incidência de falha do tratamento, readmissão pelo mesmo problema, infecções por Clostridium difficile ou reações adversas aos medicamentos.

Pelos resultados, concluiu-se que uma intervenção multifacetada para otimizar a prescrição de antibióticos na alta hospitalar está associada com o uso menos frequente de antibióticos com atividade contra bactéria gram-negativa e períodos de tratamento pós-alta mais curtos.

Veja também: ’10 conceitos essenciais para o uso apropriado de antibióticos em pacientes hospitalizados’

Referências:

  • Yogo, N., Shihadeh, K., Young, H., Calcaterra, S., Knepper, B., Burman, W., . . . Jenkins, T. (2017). Intervention to Reduce Broad-Spectrum Antibiotics and Treatment Durations Prescribed at the Time of Hospital Discharge: A Novel Stewardship Approach. Infection Control & Hospital Epidemiology, 38(5), 534-541. doi:10.1017/ice.2017.10
  • https://www.jwatch.org/na43994/2017/05/02/reducing-postdischarge-antibiotic-therapy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.