Leia mais:
Leia mais:
AAP 2021: corticoides inalatórios no pronto-socorro para asma recorrente após fim de programa de incentivo
Fraturas traumáticas também estão relacionadas à osteoporose?
Osteoporose: os guidelines para tratamento
Check-up Semanal: aracnoidite espinhal, queda de saturação em paciente intubado e mais! [podcast]
Corticosteroides orais em crianças associado a sangramento gastrointestinal, sepse e pneumonia

Corticosteroides tópicos potentes podem aumentar o risco de fraturas osteoporóticas

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Já é conhecida há tempos a associação entre uso de glicocorticoides com aumento de risco de fratura osteoporótica. Inclusive, na ferramenta FRAX de cálculo para risco de fratura osteoporótica existe a pergunta fundamental se o paciente está ou não usando atualmente glicocorticoide oral ou se foi exposto a glicocorticoide oral por mais de 3 meses, com uma dose de prednisolona de 5 mg diária ou mais. Com o advento dos corticosteroides tópicos, inalatórios bem como creme, gel, pomada de esteroides, houve um crescente uso da droga pela população, já que a via tópica fugiria dos efeitos colaterais diversos da via oral, pois em teoria há uma menor absorção sistêmica.

Leia também: Avacopan para vasculites associadas ao ANCA: melhor que glicocorticoides?

Corticosteroides tópicos potentes podem aumentar o risco de fraturas osteoporóticas

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Novas evidências

No dia 20 de janeiro a revista JAMA publicou um artigo associando o uso de corticosteroides tópicos e risco de fratura osteoporótica a longo prazo.

O estudo foi desenhado como uma coorte retrospectiva e obteve dados do Registro Nacional de pacientes da Dinamarca, que cobre 99% da população do país.  Foram avaliados os dados coletados do início de 2003 ao final de 2017.

As exposições cumulativas a corticosteroides tópicos potentes ou muito potentes foram convertidas em um único padrão com potência equivalente a 1 mg/g de furoato de mometasona.

Foram incluídos mais de 700.000 indivíduos expostos à mometasona tópica em uma potência equivalente a 200 g ou mais durante o período de estudo. O grupo de referência (200-499 g) foi o maior com 317.907 indivíduos. Outros grupos com dose 500-999 g incluíram 186.359 pacientes; 1.000-1.999 g com 111.203 pacientes; 2.000-9.999 g com 94.334 pacientes; e o por último 10.000 g ou mais com 13.448 pacientes.

Resultados

Foi identificado que ao duplicar a dose de medicação (cumulativa) foi gerado um aumento de 3% de risco relativo de osteoporose e fratura osteoporótica.

Até o momento, não há limites específicos recomendados para esteroides tópicos nas diretrizes atuais.

O artigo pontua que muitas das indicações para esteroides tópicos, como psoríase e dermatite atópica, envolvem um contexto de pele com função de barreira prejudicada, expondo os pacientes a uma probabilidade aumentada de absorção.

Saiba mais: Osteoartrite do joelho: fisioterapia ou injeção de glicocorticoide?

Além disso, os autores do estudo sugerem que seria ideal considerar que se um paciente com atividade persistente da doença requer uma nova prescrição do equivalente a 100 g de mometasona a cada 1-2 meses, pode valer a pena considerar se há uma alternativa adequada.

Portanto para minimizar esse risco, seria razoável os médicos se conscientizarem desse risco, e prescreverem a droga na menor dose possível de esteroide e tentar substituí-lo por outros medicamentos quando possível.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Egeberg A, Schwarz P, Harsløf T, et al. Association of Potent and Very Potent Topical Corticosteroids and the Risk of Osteoporosis and Major Osteoporotic Fractures. JAMA Dermatol. 2021;157(3):275–282. doi:10.1001/jamadermatol.2020.4968
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar