Home / Colunistas / Crianças e tecnologia em tempos de Covid-19: risco para boom de miopia?

Crianças e tecnologia em tempos de Covid-19: risco para boom de miopia?

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Até os anos 2050 é estimado que 5 bilhões de pessoas no mundo serão míopes. Isso levou muitos governos a implantarem políticas de controle da miopia na última década. O crescimento abrupto no uso de tecnologia digital e aulas online durante a pandemia pode diminuir a eficácia dessas políticas. 

Um artigo publicado em 2020 no American Journal of Ophthalmology discutiu as alterações no aprendizado infantil durante o lockdown, revisando as evidências associadas ao tempo de tela e ao impacto na miopia. Muitas crianças estão sendo ensinadas através de plataformas digitais. Aproximadamente 1.37 bilhões de estudantes (80% dos estudantes mundiais) de 130 países foram afetados pelas medidas do lockdown

O fechamento das escolas, quarentena em casa, aulas online aumentando o tempo de tela e tempo total utilizando a visão para perto durante o dia associado a uma diminuição do tempo outdoor pode estar associado a um aumento da incidência de miopia. Além disso, as políticas públicas para controle da miopia usadas na Ásia, como em Taiwan e Singapura, estão intimamente integradas ao sistema educacional, principalmente na incorporação de atividades outdoor no tempo escolar. O fechamento dificulta o seguimento desses programas.

Miopia

Temos evidências de que o aumento do uso da visão de perto causa miopia? 

Uma meta análise que incluiu 25 mil crianças de 6 a 18 anos concluiu que existe evidência para recomendar a diminuição do tempo de leitura para reduzir o risco de miopia. O aumento do tempo em atividades outdoor se mostrou protetor contra a progressão da miopia, com uma meta análise demonstrando tanto diminuição na prevalência quanto na incidência de miopia. 

He e associados demonstraram que um tempo adicional de 40 minutos outdoor foi associado a 23% de redução na incidência de miopia. Wu e associados demonstraram 54% menor risco de progressão da miopia em crianças miópicas e não miópicas que passaram 11 horas ou mais outdoor por semana. Atividades com exposição moderada à luz, como embaixo de uma árvore, por exemplo, já foram suficientes para reduzir a progressão da miopia.

Atualmente os guidelines da OMS recomendam menos de 1 hora de tela para crianças entre 1 e 5 anos. Na China, onde quase metade da população tem miopia, políticas agressivas foram implementadas. O Ministério da Educação restringiu o uso eletrônico como ferramenta de ensino para no máximo 30% do tempo total de aulas, <20 minutos ao dia em dever de casa eletrônico e os celulares e tablets foram proibidos em sala de aula. Os alunos também são estimulados a “descansarem os olhos” por 10 minutos após 30-40 minutos de tempo de tela. O uso contínuo de eletrônicos para propostas não educacionais deve ser limitado a 15 minutos por dia,  com uma duração cumulativa de menos de 1 hora ao dia.

O que fazer para diminuir a progressão da miopia associada ao maior uso da visão de perto através das atividades eletrônicas que se impuseram na quarentena?

O primeiro passo é orientar os pais sobre os efeitos do aumento das atividades de perto e da diminuição do tempo em ambiente externo no aumento da incidência e progressão da miopia. É importante que estejam atentos orientando pausas frequentes no trabalho de perto e limitando o número de horas de uso recreacional dos eletrônicos. Além disso, o Governo e os oftalmologistas devem se engajar com a escola para formular um currículo de aprendizado em casa que encoraje o aprendizado criativo, não somente lendo e estudando em casa, incluindo atividades físicas indoor ou atividades de casa como cozinhar e limpar a casa. 

O terceiro ponto é que, mantendo a segurança, a legalidade e o distanciamento social adequado, atividades outdoor podem ser encorajadas. O tempo de ambiente externo de 2-3 horas por dia pode ser mais possível agora com a flexibilização das quarentenas. 

Não podemos negar que a tecnologia digital trouxe grandes benefícios em meio a quarentena. Mas sabemos também como é importante desenvolver uma relação saudável com os meios eletrônicos. Os pais devem impor limites no tempo de uso de telas e sempre supervisionar o conteúdo digital que está sendo visto, visando a segurança da criança e maximizando as experiências de aprendizado. Ter uma programação diária e alocar o tempo para atividades específicas pode ser útil. Além disso, o exemplo é importante e talvez os pais devam reduzir seu próprio tempo de tela, passando mais tempo com os filhos em ambientes externos e engajando as crianças em atividades não digitais. 

Autor(a):

 

Referência bibliográfica: 

  • Chee Wai Wong, Andrew Tsai, Jost B. Jonas, Kyoko Ohno-Matsui, James Chen, Marcus Ang, Daniel Shu Wei Ting, Digital Screen Time During the COVID-19 Pandemic: Risk for a Further Myopia Boom?, American Journal of Ophthalmology, Volume 223, 2021,

Um comentário

  1. Avatar
    Jones Corrêa

    Parabéns pelo texto e excelente temática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.