Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Endocrinologia / Dieta vegana: existem benefícios para perda de peso?
panela com brócolis e cenouras para dieta vegana

Dieta vegana: existem benefícios para perda de peso?

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Tempo de leitura: 4 minutos.

Uma dieta vegana com pouca gordura induz alterações na microbiota intestinal, que estão relacionadas à composição corporal alterada e à sensibilidade para a insulina, resultando em perda de peso, de acordo com as conclusões de um estudo controlado randomizado em adultos com sobrepeso/obesidade.

Durante a intervenção de 16 semanas, o peso corporal foi reduzido significativamente em indivíduos com dieta vegana, em comparação com aqueles que permaneceram em sua dieta diária normal, com uma perda de -5,8 kg (P <0,001), o que se deve principalmente a uma queda na massa gorda, com um efeito de tratamento de -3,9 kg (P <0,001). A gordura visceral também foi significativamente reduzida com o plano de alimentação vegana.
Nenhuma restrição calórica foi imposta em nenhuma das dietas.

A médica Hana Kahleova, diretora de pesquisa clínica do Comitê Médico pela Medicina Responsável, em Washington, liderou o trabalho e apresentou as conclusões na reunião anual da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes (EASD) 2019.

Leia também: Dieta vegana ajuda a prevenir o diabetes?

“Este é um resultado muito bom de meio quilo de perda de peso, em média, por semana no grupo vegano”, destacou Hana Kahleova.

A médica explicou que trabalhos anteriores mostraram que as pessoas podem emagrecer o dobro de peso em uma dieta vegana do que em uma dieta não vegana com a mesma ingestão calórica. “Ao conduzir o nosso estudo, queríamos descobrir por que isso acontece. Os resultados sugerem mudanças no microbioma intestinal produzindo os efeitos benéficos”.

Segundo Hana Kahleova, ingerir uma dieta à base de plantas com fibras altera a composição do microbioma intestinal para melhor, alimentando o tipo certo de bactérias, o ácido graxo de cadeia curta produzindo Faecalibacterium prausnitzii, que oferece muitos benefícios metabólicos, como perda de peso, maior sensibilidade à insulina, além de perda de gordura, incluindo a visceral.

No entanto, Emma Elvin, consultora clínica sênior da Diabetes UK, alertou que são necessárias mais pesquisas para entender como as dietas à base de plantas afetam a microbiota intestinal e que efeitos distintos podem ser atribuídos à dieta ser especificamente vegana, em comparação com a redução. caloria antes de recomendar a ampla adoção de uma abordagem vegana.

“É verdade que muitos dos alimentos em uma dieta vegana equilibrada são bons, mas isso não significa que todas as dietas veganas sejam saudáveis. As evidências, até agora, indicam que certos alimentos em dietas à base de plantas (como frutas, verduras e cereais integrais) foram associados à redução do risco de diabetes tipo 2”, afirmou Emma Elvin.

Alterações da microbioma na dieta vegana versus dieta diária

Para o estudo, 148 adultos com sobrepeso ou obesidade, sem histórico de diabetes, foram randomizados para seguir uma dieta vegana com pouca gordura (n = 73) ou nenhuma mudança na dieta (n = 75). A idade média nos grupos vegano e de controle foi de 53 e 57 anos, respectivamente; 60% e 67% eram mulheres, respectivamente; e o índice de massa corporal foi de 33 kg / m 3 nos dois grupos.

A dieta vegana não continha produtos de origem animal e compreendia legumes, nozes, legumes, frutas e cereais integrais. A ingestão de calorias foi irrestrita nos dois grupos.

O objetivo do estudo foi testar o efeito da dieta vegana baseada em vegetais na composição da microbiota intestinal, peso corporal, composição corporal e sensibilidade à insulina durante 16 semanas.

“Sabemos que dietas à base de plantas são muito eficazes para o controle de peso porque é sustentável a longo prazo e os benefícios vão além da intervenção imediata. No entanto, até o momento, havia pouco entendimento dos mecanismos que impulsionam os benefícios de uma dieta vegana”, ressaltou a médica.

F. prausnitzii alimenta-se de fibras e induz a perda de gordura

Quando a composição do microbioma intestinal dos participantes foi avaliada, os pesquisadores descobriram que toda a família de bacteroidetes tinha sido aumentada naqueles que ingeriram a dieta vegana, sendo que uma espécie foi considerada especialmente importante: Faecalibacterium prausnitzii.

“A abundância relativa de F. prausnitzii cresceu no grupo vegano e foi associada a um efeito de tratamento de + 4,8%. Contagens mais baixas dessas bactérias foram descritas em pacientes com diabetes, e isso tem sido associado à resistência à insulina e inflamação”, acrescentou.

A especialista explicou que F. prausnitzii produz ácidos graxos de cadeia curta, oferecendo muitos benefícios metabólicos, incluindo prevenção de doenças cardiovasculares, efeitos sensibilizadores à insulina e efeitos positivos no sistema imunológico.

Esses ácidos graxos de cadeia curta são produzidos por essas bactérias, que se alimentam de fibras abundantes em alimentos de origem vegetal, mas não em produtos de origem animal. “Quanto mais plantas são consumidas, mais essas bactérias são alimentadas com a maior a quantidade de ácidos graxos de cadeia curta produzidas. O aumento de F. prausnitzii observado em nosso estudo se correlacionou com a perda de peso e um aumento na sensibilidade à insulina”, explicou Kahleova.

E, crucialmente, dois terços da perda de peso foram “explicados pela perda de gordura e que a gordura visceral também foi perdida rapidamente na dieta vegana”.

Dieta vegana versus vegetariana

Estudos anteriores mostraram que os veganos têm um risco menor de diabetes do que os vegetarianos, uma vez que uma dieta vegetariana é mais liberal e pode ter altos níveis de gordura saturada.

“Pode ser difícil no começo encontrar e fazer receitas, além de encontrar opções para comer fora. Além disso, geralmente comemos o mesmo que, ou precisamos cozinhar para nossas famílias”, argumentou a médica, que ainda alertou para a prevenção de uma queda nos níveis de vitamina B12, que podem ser associados a uma dieta vegana.

Pacientes com diabetes que tomam metformina (que também reduz a vitamina B12) e, principalmente, idosos (tomando ou não metformina), podem ter deficiência de vitamina B12, precisando tomar suplementos.

O mesmo grupo pretende, em breve, fazer um estudo comparativo cruzado de uma dieta vegana com pouca gordura, como a American Diabetes Association (ADA) recomenda: uma dieta com restrição de carboidratos, controlada por porção, controlada por pacientes para pacientes com diabetes. E a composição do microbioma intestinal será medida.

“Também estamos no meio de outro estudo comparando uma dieta vegana com pouca gordura com uma dieta mediterrânea rica em azeite e nozes, que abordará a qualidade e quantidade de gordura de cada dieta. E no futuro, poderemos comparar dietas veganas com baixo teor de gordura versus dietas veganas com alto teor de gordura”, revelou Kahleova.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor:

Referências bibliográficas:

  • Vegan Diet Alters Microbiome and Insulin Sensitivity, Drops Weight – Medscape – Sep 17, 2019.
  • https://www.pcrm.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.