Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / Discriminação profissional: você já viveu isso?
Uma análise sobre discriminação profissional e como devemos proceder para evitar e combater atitudades de preconceito com nossos colegas.

Discriminação profissional: você já viveu isso?

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

Compreende-se como discriminação a forma de tratamento injusto ou negativo direcionado a uma determinada pessoa ou grupo. É quando a igualdade, fundamental no ambiente profissional, é alterada. Define-se preconceito como a opinião formada antecipadamente, sobre determinada pessoa ou grupo, se baseando na ignorância e em estereótipos.

Parece não ter a ver com saúde, mas façamos o seguinte exercício: onde lê-se “determinada pessoa ou grupo”, leia-se “determinada categoria ou grupo profissional. ”

Compreende-se como discriminação, a forma de tratamento injusto ou negativo direcionado a uma determinada categoria ou grupo profissional. É quando a igualdade, fundamental no ambiente profissional, é alterada. Define-se preconceito como a opinião formada antecipadamente sobre determinada categoria ou grupo profissional, se baseando na ignorância e em estereótipos.

Parece não ter a ver com saúde, mas, infelizmente, tem sim. Na nossa prática profissional estamos sujeitos a essas situações. E é bem como descrito na citação de Feldmann: “se baseando na ignorância e os estereótipos”.  

Os estudos e atualizações constantes, associados ao conhecimento das competências profissionais privativas e compartilhadas no serviço em que se está inserido, são as melhores prevenções para este tipo de situação.

Como evitar um ambiente profissional sem discriminação

O local de trabalho também é responsável pela prevenção. Para isso, basta seguir alguns passos:

  • Construir uma cultura que respeite as diferenças

É prioritário na cultura organizacional, através de um tratamento igualitário e inclusivo seja qual for o cargo, o gênero, a cor, a orientação sexual ou as escolhas pessoais de cada um.

Mais do autor: O fisioterapeuta da linha de frente fora do contexto hospitalar

  • Fazer campanhas de diversidade

De forma criativa e relevante, realizar eventos como palestras e debates, abordando o tema para estimular a reflexão, gerar empatia e discutir as dificuldades enfrentadas.

Se você já se identificou ou se identifica com esta situação, por favor, deixe seu comentário abaixo para que possamos, juntos talvez, achar a luz no fim deste túnel já longo demais.

Autor:

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.