Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Colunistas / O fisioterapeuta da linha de frente fora do contexto hospitalar
Fisioterapeuta com paciente durante a pandemia de Covid-19

O fisioterapeuta da linha de frente fora do contexto hospitalar

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

A Lei 8856/94 fixou a jornada de trabalho de fisioterapeuta em 30 horas semanais. Isto possibilita aos colegas, uma jornada de trabalho dupla e, em alguns casos, uma tripla. A pandemia do SARS-CoV-2 alterou drasticamente as relações interpessoais, principalmente, no que tange o contato físico. Clínicas e consultórios de fisioterapia não são considerados, infelizmente, serviços essenciais e por isso, muitos estabelecimentos estão fechados.

Então, como o fisioterapeuta, que atua através do contato físico com seus pacientes, realizará seu atendimento no ambiente de clínicas e consultórios de fisioterapia? E os pacientes atendidos na fisioterapia domiciliar? Ficarão sem atendimento? A resposta é NÃO.

Leia também: Fisioterapia pré-operatória melhora os resultados após cirurgia na coluna?

Prosseguindo com o atendimento

Devemos continuar os atendimentos de pacientes em clínicas, consultórios e domicílios seguindo corretamente os procedimentos de segurança e o uso correto de EPIs. A saber:

  • Óculos de proteção;
  • Protetor facial ou face shield;
  • Luvas de procedimento;
  • Máscara;
  • Touca;
  • Jaleco.

O protetor facial e os óculos são uma boa indicação para profissionais que manejam pacientes que necessitam de procedimentos geradores de aerossol, ou PGAs, como temos lido, ultimamente. São PGA: intubação e extubação endotraqueal, aspiração de vias aéreas, coleta de amostras nasotraqueais, ventilação mecânica não invasiva (VMNI), ventilação com dispositivo bolsa válvula mascara, uso de dispositivos supraglóticos, nebulização, máscara de Venturi, ressuscitação cardiopulmonar (RCP), broncoscopia, endoscopia e outros.

No que tange o atendimento domiciliar os procedimentos são:

  • Aspiração de vias aéreas;
  • Coleta de amostras nasotraqueais;
  • Ventilação mecânica não invasiva.

Quanto ao turno de atendimento, preferencialmente, antes do horário em que estamos no hospital. Para aquele colega que trabalha no turno da manhã, o ideal é que antes do início dos atendimentos em clínicas, consultórios ou domicílios, ele faça sua higiene pessoal e coloque uma roupa limpa. Ao chegar para sua segunda jornada de trabalho, paramente-se corretamente e faça seu atendimento. Ao final dele, desparamente-se adequadamente:

  • Retire as luvas e higienize as mãos;
  • Retire a touca, descarte-a em local adequado e higienize as mãos;
  • Retire o jaleco, guarde-o em um local que permita o seu isolamento e higienize as mãos;
  • Retire os óculos e/ou protetor facial e higienize-os com álcool 70°, após, higienize as mãos;
  • Retire a máscara, descarte-a em local adequado e higienize as mãos.

Saiba mais: Como a Covid-19 pode comprometer a saúde a longo prazo?

Desta forma continuaremos assistindo nossos pacientes no contexto de clínicas, consultórios e domicílios, de maneira segura e responsável, promovendo melhora na sua qualidade de vida.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.