Leia mais:
Leia mais:
Estudo compara ingestão de nutrientes em bebês de 6 a 12 meses utilizando o desmame tradicional ou o método BLW
Mães com hepatite C não realizam rastreio no bebê pós-parto
Quiz: recém-nascido apresenta “covinha” na pele na região sacral. O que pode ser?
Bebês hospitalizados que usam fórmulas infantis têm risco maior de desmame precoce
Era digital: impactos do uso de telas nos primeiros mil dias de vida

Dispositivo pode ajudar na estabilidade do oxigênio cerebral de neonatos prematuros

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Um novo dispositivo médico desenvolvido no Canadá e denominado Calmer auxiliou na manutenção de níveis normais de saturação regional de oxigênio cerebral (55-85%) de recém-nascidos (RN) prematuros, não diferentemente de bebês que receberam toque humano durante coletas de sangue, de acordo com o estudo Cerebral hemodynamic response to a therapeutic bed for procedural pain management in preterm infants in the NICU: a randomized controlled trial, publicado no jornal PAIN Reports.

Em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), os bebês prematuros são inevitavelmente expostos a dores repetidas em procedimentos (em média, 10 a 12 vezes por dia), durante um período crítico de estresse e de desenvolvimento cerebral muito rápido. Um controle eficaz da dor é crucial para a proteção do cérebro em RN prematuros. O contato pele a pele (CPP) feito pelos pais é uma das estratégias mais eficazes para aliviar a dor aguda associada a procedimentos em bebês. Por meio de CPP, os bebês experimentam o toque, o calor, os sons dos batimentos cardíacos e os movimentos respiratórios que ativam simultaneamente vias opioides e não opioides múltiplas, melhorando o ganho de peso e a maturação do cérebro e, também, reduzindo o estresse. No entanto, várias barreiras limitam a implementação do CPP como padrão de tratamento para o tratamento da dor associada a procedimentos em UTIN. Isso é especialmente relevante no atual contexto da pandemia de Covid-19, onde muitos ambientes hospitalares estão limitando o número de visitantes e o contato com os pacientes.

Leia também: O contato pele a pele diminui as respostas à dor no cérebro de recém-nascidos

Dispositivo pode ajudar na estabilidade do oxigênio cerebral de neonatos prematuros

Novo dispositivo

Dessa forma, as pesquisadoras Karon MacLeand e Liisa Holst desenvolveram um dispositivo médico chamado Calmer, que fornece, com segurança, os componentes fundamentais do CPP (toque, movimento e som) para reduzir o estresse em RN prematuros. Em resumo, o Calmer é uma plataforma que se encaixa dentro de incubadoras e substitui o colchão padrão. Os principais recursos do Calmer incluem frequências cardíacas e respiratórias ajustáveis para que os registros fisiológicos dos pais possam ser individualizados para cada bebê (ou seja, as frequências cardíacas e respiratórias médias da mãe em um período de 2 minutos). Os sons dos batimentos cardíacos são controlados pelo volume. Para imitar a respiração, a placa superior do Calmer, que é coberta por uma superfície semelhante a uma pele feita de silicone e Gore-tex biocompatível, move-se para cima e para baixo 10 mm em uma trajetória suave.

No estudo citado acima, os efeitos do Calmer na atividade hemodinâmica cerebral regional durante uma estimulação nociva foram comparados ao toque facilitado. Durante uma punção de calcanhar com indicação clínica, os pesquisadores mediram a oxigenação do tecido do córtex frontal em uma subamostra de 29 bebês prematuros, com 27–33 semanas de idade gestacional, de um estudo controlado randomizado maior. Os bebês foram randomizados para tratamento com toque facilitado (n = 16) ou tratamento mais calmo (n = 12). A medida de resultado, obtida por meio de espectroscopia de infravermelho próximo, foi uma mudança no índice de oxigenação do tecido (IOT) ao longo das fases do estudo.

Os pesquisadores observaram que, quando os níveis de oxigênio no cérebro foram medidos (IOT), os dois grupos mostraram resultados semelhantes, isto é, os níveis de oxigênio cerebral permaneceram praticamente estáveis durante o procedimento.

Saiba mais: Contato pele a pele fornece muitos benefícios para bebês prematuros

O estudo concluiu, portanto, que o uso do Calmer não foi diferente de uma intervenção de toque humano na prevenção de mudanças evidentes na perfusão regional de oxigênio cerebral em resposta a um procedimento doloroso comum na UTIN, com rompimento da pele. No entanto, os pesquisadores destacam que há necessidades de pesquisas futuras para avaliar a eficácia clínica do dispositivo em uma exposição mais longa. Se uma exposição mais prolongada ao dispositivo for comprovada para melhorar o crescimento e reduzir as incapacidades ao longo da vida, protegendo o cérebro, isso poderia afetar os desfechos de bebês prematuros em todo o mundo e os custos de saúde e sociais. Por fim, os pesquisadores declaram que diretrizes claras devem ser desenvolvidas para garantir que os pais/famílias permaneçam na primeira linha de tratamento, sempre que possível.

Mensagem final

Apesar de bastante promissor, nada substitui o toque humano e acredito que o uso do Calmer, mesmo com inúmeras vantagens, não possa ser preterido em relação ao CPP, devendo ser usado em momentos em que os pais não possam estar presentes. Infelizmente, mesmo com todos os benefícios do CPP, muitas UTIN ainda não permitem a presença de um dos pais em uma boa parte do período de internação do bebê.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Ranger M, Albert A, MacLean K, Holsti L. Cerebral hemodynamic response to a therapeutic bed for procedural pain management in preterm infants in the NICU: a randomized controlled trial. Pain Rep. 2021;6(1):e890. Published 2021 Jan 12. doi:10.1097/PR9.0000000000000890
Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.