Geriatria: qual perfil devo ter para seguir essa especialidade?

Algumas especialidades médicas são verdadeiras incógnitas até mesmo para os médicos. Pensando nisso, a PEBMED preparou um especial com artigos sobre cada especialidade da Medicina. Nosso objetivo é ajudar você a escolher a residência que está mais alinhada com suas qualidades e seus objetivos. Já falamos sobre Coloproctologia, Pediatria e Dermatologia; hoje é a vez do Dr. Rodrigo Buksman falar sobre Geriatria.

Residência em Geriatria

1) O que é?

Muitos confundem o termo Geriatria com Gerontologia, que é o estudo do envelhecimento nos aspectos biológicos, psicológicos, sociais e outros. Os profissionais da Gerontologia têm formação diversificada, interagem entre si e com os geriatras. O geriatra é o médico que se especializou no cuidado de pessoas idosas, tornando-se especialista após ter feito residência médica credenciada pela Comissão Nacional de Residência Médica e/ou ter sido aprovado no concurso para obtenção do Título de Especialista em Geriatria da SBGG/AMB.

2) Como é o dia a dia?

O geriatra utiliza uma abordagem ampla para a avaliação clínica, incluindo aspectos psicossociais, escalas e testes; por isso, a consulta geriátrica é, em geral, mais demorada.

Além de lidar com doenças comuns a outras especialidades como as demências, a hipertensão arterial, o diabetes e a osteoporose, o geriatra também trata de problemas com múltiplas causas, como tonturas, incontinência urinária e tendência a quedas, frequentemente atuando em conjunto com equipe multidisciplinar. Ele também fornece cuidados paliativos aos idosos portadores de doenças sem possibilidade de cura.

A Medicina Geriátrica é uma ciência que avança a cada dia, propiciando longevidade com melhor qualidade de vida para a população idosa.

3) Oportunidades de trabalho:

No Brasil, apesar da carência em profissionais especialistas em idosos, são poucos os cargos oferecidos através de concursos públicos para geriatras. Assim como em outras áreas, pode-se optar pela carreira acadêmica, visando ensino e pesquisa geralmente em ambiente universitário ou pela carreira assistencial, existindo tanto o ambiente público como o privado. Em ambos, o geriatra pode se dedicar a atendimentos hospitalares ou ambulatoriais. Já especificamente no setor privado é frequente a rotina de atendimentos domiciliares ou em casas geriátricas.

4) Número de especialistas:

No momento, contamos com aproximadamente 1.500 geriatras registrados pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

5) Curiosidade(s):

–  Apesar dos censos demográficos mostrarem a previsão de aumento significativo da população idosa, o número de médicos especialistas em geriatria é pequeno. Uma das teorias para justificar a falta de interesse de estudantes de medicina pela área é o longo tempo necessário para a realização de uma consulta de qualidade. Num cenário onde as seguradoras de saúde avançam e o médico sente-se pressionado a realizar dezenas de atendimentos em busca de remuneração digna, muitos estudantes ao considerarem esse aspecto optam por outras especialidades.

6) Especialidades correlacionadas:

A clínica médica tem grandes e frequentes interseções com a geriatria. Inclusive um dos caminhos para tornar-se geriatra é através de residência médica e, nesse caso, a conclusão em programa de residência em clínica é pré-requisito obrigatório.

A área de cuidados paliativos, cada vez mais encarada como especialidade independente, faz parte da rotina do geriatra. Ao longo da formação em geriatria o tema paliação é extensivamente trabalhado.

7) Área de atuação:

  • Ensino
  • Pesquisa
  • Promoção de saúde
  • Controle e tratamento de doenças
  • Visitas hospitalares
  • Visitas domiciliares
  • Visitas a casas geriátricas
  • Consultório / Ambulatório

8) Mensagem para quem quer seguir essa especialidade:

Se você pretende se tornar geriatra, primeiramente busque uma formação clínica sólida. A Clínica Médica é a base para a construção dos conceitos abrangidos pela Geriatria. A demanda por geriatras é enorme, mas o trabalho para tornar-se especialista e atuar no dia-a-dia é árduo. O médico que opta por seguir esse caminho deve ter algumas características imprescindíveis como paciência, compaixão e muito respeito pelos idosos. Se esse é o seu perfil, abrace a geriatria!

Veja também:
‘Coloproctologia: nem tudo que sangra é culpa das hemorroidas’
‘Pediatria: muita dedicação e amor pelo que se faz’
‘Dermatologia’: por que escolher essa especialidade médica?’

Autor:

Referências:

Relacionados