Leia mais:
Leia mais:
Orientações da nova diretriz de manejo da ascite e complicações na cirrose
Quiz: Homem procura atendimento com queixa de hiperemia na mama. Qual o diagnóstico?
Uso de amoxicilina para o tratamento de infecções torácicas em crianças apresenta poucos efeitos
Whitebook: sangramento vaginal
Atividade física e Covid-19: a importância da reavaliação médica no retorno aos treinos

Manejo da Trombose Venosa Profunda: 10 keypoints

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

(Atualização de artigo sobre manejo da Trombose Venosa Profunda, publicado em 10/10/2018)

10 keypoints no manejo da Trombose Venosa Profunda, atualização e complementação de artigo publicado no Portal PEBMed em outubro de 2018.

10 keypoints no manejo da Trombose Venosa Profunda, atualização e complementação

  1. Tromboses venosas proximais são aquelas localizadas acima do joelho (femoral, poplítea, ilíaca) e distais são localizadas abaixo do joelho (tibiais, veias musculares). As tromboses proximais têm maior risco de complicação e requerem tratamento mais imediato.
  2. O escore de Wells ainda é a melhor ferramenta de probabilidade pré-teste, quando em baixa probabilidade evidencia uma incidência de apenas 3% de TVP, média probabilidade bate com uma incidência de 17% de TVP e alta probabilidade com 50 a 75% de TVP. O escore de Wells modificado acrescenta um ponto para pacientes que tiveram TVP passada e foi mais bem estudado em algoritmos que analisam o D-dímero.
  3. O D-dímero pode ser utilizado em pacientes com baixa probabilidade de doença para exclusão de diagnóstico. Em doentes com condições em que se espera que o D-dímero esteja elevado, é recomendado não dosá-lo e realizar diretamente o exame de imagem.
  4. A ultrassonografia venosa é recomendada como exame de imagem de primeira linha para o diagnóstico da TVP. A tomografia computadorizada venosa é indicada apenas para pacientes selecionados, nos quais existe alta probabilidade pré-teste, porém a ultrassonografia não é conclusiva.
  5. A anticoagulação é a terapia principal de pacientes com TVP. Pacientes com TVP proximal e sintomáticos são os grandes candidatos a anticoagulação. A intenção do tratamento é evitar a progressão do trombo e as complicações relacionadas à doença.
  6. O início da anticoagulação deve sempre pesar risco e benefício para os pacientes, o maior risco é o sangramento. O risco de sangramento deve ser sempre avaliado e escores de avaliação de risco, como o HAS-BLED, podem ser utilizados.
  7. Para pacientes assintomáticos, o início da terapia anticoagulante deve ser analisada caso a caso. Condições como TVP sem etiologia definida, D-dímero > 500 ng/mL, trombose extensa, trombose em localização proximal e perto da proximal, TVP ou tromboembolismo pulmonar prévios, imobilidade prolongada ou pacientes internados devem pesar na decisão de anticoagulação.
  8. Pacientes sem instabilidade hemodinâmica, insuficiência renal e baixo risco de sangramento podem tratar a patologia fora do hospital. Para isso, os anticoagulantes orais diretos são a primeira escolha.
  9. A duração da anticoagulação varia de paciente para paciente. Entretanto é consenso que em pacientes em um primeiro caso de TVP não provocada (sem patologias secundárias que geraram a TVP) o período mínimo de anticoagulação é de três meses. Quando o fator que causou a TVP não puder ser retirado o tempo de anticoagulação, deve ser pelo resto da vida. 
  10. O filtro de veia cava está indicado em pacientes com TVP que não podem anticoagular ou em que o risco de sangramento é muito elevado.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar