Página Principal > Colunistas > Música alivia sintomas do câncer como dor e fadiga?

Música alivia sintomas do câncer como dor e fadiga?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Um estudo desenvolvido em Taiwan e publicado no último 5 de Junho na European Journal of Cancer Care sugere que sim, ouvir música em casa pode reduzir os sintomas de dor e fadiga e amenizar a perda de apetite e a diminuição do apetite. 

O estudo incluiu pacientes portadoras de Câncer de Mama diagnosticadas há pouco tempo e que foram divididas em dois grupos. No total, sessenta pacientes foram randomizadas. Desses pacientes, metade ouviu por 30 minutos,  5 vezes por semana, músicas de um mp3 fornecido pelo estudo (a paciente podia escolher entre música clássica, popular, de dança de salão, religiosa e “taiwanesa”). Já a outra metade ouviu, também por 30 minutos e cinco vezes por semana, apenas sons “de ambiente”. 

As avaliações ocorreram ao longo de 24 semanas, a primeira antes da cirurgia e 6-12-24 semanas após. Todas as pacientes avaliaram 25 sintomas físicos em uma escala de cinco pontos, cinco níveis de fadiga e uma escala de dor de 100 pontos. 

Saiba mais: Conheça novas recomendações da diretriz para Dor, Sedação e Delirium

Após 6-12-24 semanas, o grupo que ouviu música em casa reduziu de forma significativa a severidade dos sintomas, intensidade de dor e fadiga emocional (p<0,05). Além disso, reduziu ainda de forma estatisticamente significativa a fadiga física após 6-12 semanas e a fadiga mental após seis semanas. 

Em tempos de procedimentos invasivos e de altíssimo custo, a musicoterapia pode ser uma ferramenta simples, sem custo para os pacientes. Claro que esta intervenção não afeta sintomas de longo prazo. Sabemos que a música aumenta a liberação de endorfinas, dopamina e serotonina no cérebro, trazendo prazer e emoções positivas, aliviando a tensão muscular, tirando o foco de emoções negativas tão presentes na fase aguda do diagnóstico e tratamento de Câncer. A musicoterapia pode em tese ajudar estes pacientes a lidar com estresse, medo e sensação de solidão. É daquelas coisas que não vão fazer mal, muito pelo contrário. 

Autor: 

Referências: 

  • Eur J Care. 2019; e13064. https://doi.org/10.1111/ecc.13064

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.