Página Principal > Saúde Pública > RJ amplia vacinação contra Febre Amarela; como orientar seu paciente
surto de sarampo; américas

RJ amplia vacinação contra Febre Amarela; como orientar seu paciente

Como medida preventiva, o Rio de Janeiro ampliará a vacinação contra a Febre Amarela ainda neste mês. Segundo informações do Portal Brasil, o Estado receberá, nos próximos 15 dias, 1,5 milhão de doses da vacina enviadas pelo Ministério da Saúde.

A ampliação da vacinação é uma medida de precaução adotada devido aos casos registrados de febre amarela em estados próximos ao Rio. Em nota, a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro reforçou que não há necessidade de correria para os postos, já que não há nenhum caso registrado da doença no RJ. A vacinação será feita ao longo do ano inteiro.

Veja também: ‘NEJM: risco de transmissão urbana de Febre Amarela no Brasil’

Com a ampliação, 233 unidades de saúde do município receberão a vacina. Também ficou decidido que, a partir deste ano, a vacinação contra a febre amarela passará a fazer parte do calendário regular de vacinação do Estado.

Ainda segundo a Secretaria de Saúde do Estado, a estimativa é de que toda população (exceto quem se encaixa nos critérios de contra-indicação) seja imunizada até o fim deste ano. Para a primeira etapa, já foram solicitadas 3 milhões de doses ao Ministério da Saúde; ao todo, a previsão é de que serão necessárias aproximadamente 12 milhões.

A imunização deve ser intensificada a partir da última semana de março.

E mais: ‘Veja as recomendações do Ministério da Saúde para a Febre Amarela’

Orientações ao paciente: quem não deve se vacinar?

– Crianças com menos de nove meses de vida
– Adultos com mais de 60 anos
– Pessoas com imunodeficiência comprometida
– Gestantes e mulheres que amamentam crianças com menos de seis meses

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Abordagem ao paciente com febre e mialgia

Hoje, dengue, zika, chikungunya e o renascimento da febre amarela desafiam o médico no cenário de emergência. Em todas, a fase inicial da doença (< 5 dias) lembra uma virose comum: febre, mialgias, prostração, mal estar.

Há poucas pistas nesta fase para separar qual é qual, por isso, montamos uma tabela para te ajudar:

O mais importante vem a seguir: é na segunda fase da doença que as complicações e os riscos aparecem. Clique aqui e saiba como cuidar do seu paciente.

Referências:

  • https://www.brasil.gov.br/saude/2017/03/medida-preventiva-ampliara-vacinacao-contra-febre-amarela-no-rio-de-janeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.