Home / Cardiologia / Suplemento de glucosamina está relacionado a menor risco cardiovascular?

Suplemento de glucosamina está relacionado a menor risco cardiovascular?

Tempo de leitura: 2 minutos.

O uso regular de suplementos de glucosamina pode estar relacionado a um risco menor de eventos de doença cardiovascular. O tema foi objeto de estudo do UK Biobank e publicado no The BMJ.

Os resultados da pesquisa sugerem que a glucosamina pode apresentar benefícios na prevenção de eventos cardiovasculares, como doença coronariana e acidente vascular cerebral. Os pesquisadores afirmam que é preciso a realização de mais ensaios clínicos para ter certeza.

Glucosamina  na prevenção de risco cardiovascular

A glucosamina é um suplemento dietético popular utilizado para aliviar a osteoartrite e a dor nas articulações. Enquanto a sua eficácia na dor nas articulações continua a ser estudada, novas evidências sugerem que a glucosamina pode ter um papel importante na prevenção de doenças cardiovasculares e na redução da mortalidade.

Os pesquisadores liderados pelo professor Lu Qi, do Departamento de Epidemiologia da Universidade de Tulane, em Nova Orleans, nos Estados Unidos, basearam-se em dados do estudo do Biobank, um estudo populacional de mais de meio milhão de homens e mulheres britânicos.

A análise incluiu 466.039 participantes sem doenças cardiovasculares, que completaram um questionário sobre o uso de suplementos, incluindo a glucosamina. As certidões de óbito e registros hospitalares foram utilizados ​​para monitorar eventos de doenças cardiovasculares, incluindo morte por essa enfermidade, doença coronariana e acidente vascular cerebral, durante sete anos de acompanhamento.

Resultados

No geral, quase um em cada cinco (19,3%) participantes relataram o uso de glucosamina no início do estudo.
Os pesquisadores descobriram que o uso de glucosamina foi associado com um risco 15% menor do total de eventos cardiovasculares, e um risco de 9% a 22% menor de doença coronariana, acidente vascular cerebral e morte por doença cardiovascular em comparação com o não uso.

Estas associações favoráveis ​​permaneceram depois de levar em conta os fatores de risco tradicionais, incluindo idade, sexo, peso (IMC), etnia, estilo de vida, dieta, medicação e outros usos de suplementos.
A associação entre o uso de glucosamina e doenças coronarianas também foi mais forte em fumantes atuais (37% menor risco) em comparação com nunca (12%) e ex-fumantes (18%).

Leia maisConheça nova diretriz de redução do risco cardiovascular em pacientes pediátricos

Diversos mecanismos podem explicar esses resultados, dizem os autores. Por exemplo, o uso regular de glucosamina tem sido associado a uma redução nos níveis de proteína C-reativa (PCR), uma substância química associada à inflamação. Isso também pode ajudar a explicar a associação mais forte entre os fumantes, que têm níveis mais altos de inflamação, e maior risco de doenças cardiovasculares do que os não fumantes.

Além disso, dados anteriores sugerem que a glucosamina pode imitar uma alimentação baixa em carboidratos, que tem sido inversamente associada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Apesar do grande tamanho da amostra, este é um estudo observacional e, como tal, não pode estabelecer uma causa. Os pesquisadores apontam para algumas limitações, como a falta de informações sobre dose, duração e efeitos colaterais do uso de glucosamina.

Conclusão

O uso regular de glucosamina também pode ser um marcador para um estilo de vida saudável, mas é improvável que isso tenha afetado os resultados. Como tal, os pesquisadores concluem que o uso habitual de suplementos de glucosamina para aliviar a dor da osteoartrite também pode estar relacionado a menores riscos de eventos cardiovasculares. No entanto, mais ensaios clínicos são necessários para testar essa hipótese.

É médico e quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.