Telemedicina: CFM regulamenta regras e médico tem autonomia para decidir forma de atendimento

Após um amplo debate com entidades médicas e especialistas, o Conselho Federal de Medicina definiu e regulamentou a telemedicina no Brasil.

O Portal PEBMED é destinado para médicos e demais profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar esse conteúdo crie um perfil gratuito no AgendarConsulta.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) finalmente definiu e regulamentou a telemedicina no Brasil. Após um amplo debate com entidades médicas e especialistas, a Resolução nº 2.314/2022 já está em vigor para regular a prática em substituição à Resolução CFM nº 1.643/2002.

A nova norma estabelece as regras para o atendimento à distância, regulamentando as diversas modalidades e definindo que esse tipo de atuação é apenas auxiliar. As consultas remotas deverão ter o mesmo preço das presenciais.

“As consultas a distância apenas serão empregadas em momentos que, porventura, não exista um especialista próximo. Portanto, vamos estimular as consultas presenciais”, ressaltou o presidente do CFM, José Hiran Gallo.
Na opinião de Gallo, o método demonstrou sua grande capacidade de levar assistência, principalmente às cidades do interior durante a pandemia de Covid-19, reduzindo o estrangulamento causado pela alta demanda.

telemedicina

Autonomia médica

A norma assegura aos médicos a autonomia de decidir utilizar ou não a modalidade online, indicando o atendimento presencial sempre que entender necessário.

Para o relator da norma, o pediatra e nefrologista Donizetti Dimer Giamberardino Filho, o ponto de partida para a elaboração da nova resolução foi colocar a o Brasil em sintonia com a inovação e os avanços tecnológicos da assistência médica mundial.

“A consulta médica presencial permanece como referência no atendimento aos pacientes. No entanto, a pandemia mostrou que a telemedicina pode ser um importante ato complementar à assistência médica, permitindo o acesso a milhares de pacientes em todo o país”, ressaltou Filho.

Para o CFM, com a utilização dos meios tecnológicos e digitais seguros, os médicos devem sempre avaliar se a telemedicina é realmente o método mais adequado às necessidades do paciente naquela situação, visando os benefícios e os melhores resultados para o diagnóstico e tratamento.

“O médico que utilizar as consultas a distância, ciente de sua responsabilidade legal, deve avaliar se as informações recebidas são qualificadas, dentro de protocolos rígidos de segurança digital e suficientes para a finalidade proposta”, pontua a resolução.

Telemedicina: uma realidade para a anestesia também?

Segurança e privacidade

Para assegurar o respeito ao sigilo médico, nos serviços prestados por telemedicina os dados e imagens dos pacientes constantes no registro do prontuário devem ser preservados, obedecendo às normas legais pertinentes.

Segundo a nova resolução, o atendimento à distância deve ser registrado em prontuário médico físico ou no uso de sistemas informacionais, no Sistema de Registro Eletrônico de Saúde (SRES) do paciente, com todos os dados em relação à anamnese e propedêuticos, resultados de exames complementares e da conduta médica adotada sendo preservados, sob responsabilidade do médico responsável pelo atendimento em consultório próprio ou do diretor técnico da instituição médica.

Concordância do paciente

A resolução estabelece ainda que o paciente ou seu representante legal deve autorizar o atendimento por telemedicina e a transmissão das suas imagens e dados através de um termo de concordância e autorização, que deve ser enviado por meio eletrônico ou de gravação da leitura do texto e concordância.

Os dados pessoais e clínicos do teleatendimento médico devem seguir as definições da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e outros dispositivos legais.

“Não há dúvida de que essa regulamentação traz uma grande contribuição para o atendimento dos pacientes, porém o paciente precisa ter certeza de que existe uma estrutura de governança confiável no local. A qualidade e a segurança do atendimento online deve ser uma prioridade”, apontou o relator Donizetti Filho.

É importante lembrar que a telemedicina não se resume à teleconsulta. Ela é apenas uma das sete modalidades definidas pela nova resolução. As demais são:

  • Teleinterconsulta: quando médicos consultam outros médicos;
  • Telediagnóstico: envio de laudos de exames aos médicos;
  • Telecirurgia: mediada por robôs;
  • Telemonitoramento: acompanhamento da evolução clínica do paciente;
  • Teletriagem: regulação do paciente para internação;
  • Teleconsultoria: consulta registrada e realizada entre trabalhadores, profissionais e gestores da área da saúde, com o intermédio de instrumentos de telecomunicação bidirecional, como internet, telefone e aplicativos.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastre-se grátis Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo

Selecione o motivo:
Errado
Incompleto
Desatualizado
Confuso
Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Baixe e-books, e outros materiais para aprimorar sua prática médica e gestão Baixe e-books, e outros materiais
para aprimorar sua prática
médica e gestão
# RESOLUÇÃO CFM Nº 2.314, de 20 de abril de 2022. Conselho Federal de Medicina (CFM). Disponível em: https://portal.cfm.org.br/noticias/apos-amplo-debate-cfm-regulamenta-pratica-da-telemedicina-no-brasil/ # Após amplo debate, CFM regulamenta prática da Telemedicina no Brasil. Conselho Federal de Medicina (CFM). Disponível em: https://portal.cfm.org.br/noticias/apos-amplo-debate-cfm-regulamenta-pratica-da-telemedicina-no-brasil/