Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Cirurgia Cardíaca / Terapia endovascular versus cirurgia de bypass em pacientes com isquemia crítica dos membros
médicos operando um paciente

Terapia endovascular versus cirurgia de bypass em pacientes com isquemia crítica dos membros

Esse conteúdo é exclusivo para
usuários do Portal PEBMED.

Tenha acesso ilimitado a todos os artigos, quizzes e casos clínicos do Portal PEBMED.

Faça seu login ou inscreva-se gratuitamente!

A isquemia crítica dos membros é uma condição presente quando o paciente possui um quadro clínico de dor em repouso ou com a presença de lesões tróficas, sendo uma apresentação clínica com elevado risco de perda do membro afetado. Seu tratamento é a revascularização. Esta pode ser realizada através da técnica cirúrgica convencional (bypass) e da técnica endovascular.

O tratamento de primeira linha mais eficaz entre a terapia endovascular e a cirurgia de bypass para pacientes com isquemia crítica de membros ainda não é bem definido. Apenas um ensaio clínico randomizado foi publicado entre a terapia endovascular e a cirurgia de bypass. Vários estudos retrospectivos mostraram resultados comparáveis entre as duas estratégias de tratamento, entretanto as tecnologias endovasculares atuais não foram avaliadas.

Entre janeiro de 2013 e setembro de 2014, 1.200 pacientes com isquemia crítica de membros (classificação de Rutherford 4 a 6) foram analisados em um estudo conduzido Bisdas e colaboradores.

As melhores condutas médica você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

O desfecho primário avaliado foi a sobrevida livre de amputação, ou seja, o tempo até a amputação e/ou morte por qualquer causa. A análise do período até a amputação, tempo até o óbito e o desfecho composto da reintervenção e/ou amputação também foram analisados.

A terapia endovascular foi aplicada em 642 (54%) e a cirurgia de bypass em 284 (24%) pacientes. A mediana do tempo de acompanhamento foi de aproximadamente 12 meses em ambos os grupos. Em um ano, a sobrevida livre de amputação foi de 75% e 72%, respectivamente. A não-inferioridade da terapia endovascular versus cirurgia de bypass para sobrevida livre de amputação foi confirmada (HR: 0,91; p=0,003). Não foi observado impacto para os desfechos secundários avaliados.

A análise confirmou a não-inferioridade da abordagem endovascular atual em comparação com a cirurgia de bypass como estratégia de tratamento de primeira linha.

Autor:

Referências:

  • Bisdas T, Borowski M, Stavroulakis K, Torsello G. Endovascular Therapy Versus Bypass Surgery as First-Line Treatment Strategies for Critical Limb Ischemia. JACC Cardiovasc Interv [Internet]. 2016;9(24):2557–65. Available from: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1936879816316442

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.