Tocilizumabe em pacientes com Covid-19 hospitalizados: resultados de novo estudo clínico

Tempo de leitura: 3 min.

Na busca por terapias eficazes para casos de Covid-19, o tocilizumabe destacou-se como medicamento potencial, principalmente em casos de pacientes hospitalizados. Trata-se de um anticorpo monoclonal anti-IL-6 e seu mecanismo de ação seria na interrupção da cascata inflamatória associada a casos graves de Covid-19.

Alguns estudos, como o COVACTA e o BACC Bay Tocilizumab Trial, não demonstraram benefício com o uso do tocilizumabe, enquanto os resultados preliminares do EMPACTA mostraram benefício do fármaco em evitar a progressão de indivíduos infectados para ventilação mecânica. Os resultados finais do EMPACTA foram publicados na New England Journal of Medicine, adicionando evidências ao conhecimento da doença até o momento.

Leia também: Qual o real risco de pacientes com insuficiência cardíaca com Covid-19?

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas
Cadastrar Login

Materiais e métodos

O estudo é um ensaio clínico de fase 3 randomizado, duplo-cego, controlado por placebo desenhado para avaliar a segurança e eficácia do tocilizumabe em pacientes com pneumonia por Covid-19 hospitalizados que não estavam em ventilação mecânica.

Eram elegíveis pacientes adultos, hospitalizados com pneumonia por Covid-19 confirmada por RT-PCR e imagem radiológica compatível. Pacientes em uso de ventilação não invasiva ou ventilação mecânica foram excluídos. Todos os pacientes receberam o tratamento padrão local, que poderia incluir antivirais, corticoides e terapia de suporte. Os critérios de exclusão incluíram: evolução para morte iminente e inevitável em 24h, tuberculose ativa e infecção viral, bacteriana ou fúngica suspeita. Indivíduos com infecção pelo HIV bem controlada puderam ser incluídos.

Os participantes foram randomizados em uma proporção de 2:1 para receber uma ou duas doses de tocilizumabe ou de placebo, além do tratamento padrão. O processo de randomização foi estratificado pelo local e pela idade do participante (≤ 60 anos ou > 60 anos). Se o participante apresentasse sinais clínicos de piora ou de ausência de melhora (por exemplo, febre mantida ou piora a escala ordinal de sete categorias), uma segunda dose de tocilizumabe ou placebo poderia ser administrada de 8 a 24h após a primeira dose.

Saiba mais: O menu de vacinas anti-Covid-19: quais as opções temos disponíveis até o momento?

O período de seguimento foi de 28 dias para avaliação de eficácia e os participantes foram acompanhados por um total de 60 dias. Os que receberam alta antes de 28 dias foram acompanhados semanalmente até o dia 28 e realizaram uma visita de segurança no D60.

O desfecho primário de eficácia foi ventilação mecânica, ECMO ou morte até o D28. Os resultados foram analisados de acordo com idade, etnia, região geográfica, uso de corticoide, uso de antiviral e número de doses de tocilzumabe/placebo. Os desfechos secundários principais foram tempo para alta hospitalar, tempo para melhora em pelo menos duas categorias na escala ordinal de sete categorias em relação ao início do estudo, tempo para falha clínica (tempo para morte, ventilação mecânica, admissão em CTI) ou morte.

Resultados

No total, 389 pacientes de 6 países foram randomizados, sendo que 377 receberam tocilizumabe ou placebo: 249 no grupo do tocilizumabe e 128 no grupo placebo. Aproximadamente 90,4% e 89,9% dos participantes completaram o estudo no grupo do tocilizumabe e no grupo placebo, respectivamente. A média de seguimento foi de 60 dias em ambos os grupos. A administração de antivirais foi semelhante entre os grupos, enquanto 80,3% dos participantes do grupo que recebeu tocilizumabe e 87,5% dos que estavam no grupo placebo receberam corticoides sistêmicos.

A porcentagem acumulada de pacientes que evoluíram para ventilação mecânica ou que morreram até o 28º dia foi significativamente menor no grupo que recebeu tocilizumabe (12%; IC 95% = 8,5 – 16,9) do que no grupo placebo (19,3%; IC 95% = 0,33 – 0,97), com um HR = 0,56 (IC 95% = 0,33 – 0,97; p = 0,04).

A média de tempo até alta hospitalar no período de 28 dias após a inclusão no estudo foi de 6 dias no grupo do tocilizumabe e de 7,5 dias no grupo placebo (HR = 1,16; IC 95% = 0,91 – 1,48), sem diferença estatística significante. Os resultados foram semelhantes para melhora clínica em duas categorias da escala ordinal. A mortalidade no D28 foi de 10,4% no grupo do tocilizumabe (IC 95% = 7,2 – 14,9) e de 8,6% no grupo placebo (IC 95% = 4,9 – 14,7), semelhante entre os grupos.

Em relação à segurança, 50,8% dos participantes avaliados no grupo do tocilizumabe e 52,8% dos que estavam no grupo placebo apresentaram algum evento adverso. Eventos adversos graves foram relatados em 15,2% e 19,7%, respectivamente.

Mensagens práticas

Nesse estudo, o uso de tocilizumabe esteve associado a menor probabilidade de progressão de pacientes com Covid-19 para ventilação mecânica ou morte até o dia 28, mas não houve diferença em mortalidade por todas as causas ao final do estudo quando comparado com placebo.

Autor(a):

Referências bibliográficas:

  • Salama, C, Han, J, Yau, L, et al. Tocilizumab in Patients Hospitalized with Covid-19 Pneumonia. N Engl J Med 2021;384:20-30. doi: 10.1056/NEJMoa2030340
Compartilhar
Publicado por
Isabel Cristina Melo Mendes

Posts recentes

Como abordar a queda abrupta de saturação em paciente intubado?

Pacientes intubados podem apresentar pioras na saturação periférica de oxigênio, cuja abordagem deve ser rápida…

37 minutos atrás

STRIDE II: o que há de novo nos alvos terapêuticos das doenças inflamatórias intestinais?

A IOIBD publicou, recentemente, uma atualização dos alvos terapêuticos das doenças inflamatórias intestinais. Saiba mais.

2 horas atrás

Vacina HPV: câncer cervical diminui incidência, mas outros cânceres induzidos aumentam

Apesar das regressões de cânceres cervicais, o aumento de neoplasias de outros sítios também relacionadas…

3 horas atrás

Medidas de proteção contra Covid-19 podem alterar a incidência de outras doenças

Com o início da pandemia de Covid-19, várias medidas de proteção têm sido estabelecidas com…

4 horas atrás

Como a vacina da Pfizer contra Covid-19 se comporta em pacientes com doenças reumáticas?

Diversas vacinas têm sido utilizadas no combate à pandemia da Covid-19, dentre elas, a vacina…

6 horas atrás

Médicos e pacientes devem notificar efeitos adversos das vacinas para a Anvisa

Médicos e pacientes devem notificar os efeitos adversos das vacinas no portal da Agência Nacional…

7 horas atrás