Pebmed - Notícias e Atualizações em Medicina
Cadastre-se grátis
Home / Medicina de Família / Universidade brasileira desenvolve novo tipo de exame de próstata
médica atendendo paciente com suspeita de câncer de próstata, para realização de exame de próstata

Universidade brasileira desenvolve novo tipo de exame de próstata

Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Pesquisadores do laboratório de Nanobiotecnologia do Instituto de Biotecnologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) desenvolveram um exame de próstata que permite que o resultado esteja pronto em apenas três horas.

O projeto, que até já ganhou um Prêmio de Inovação Tecnológica do Sebrae, em 2002, aguarda a sua patente internacional para viabilizar o método pelo país. Segundo a UFU, a técnica deve chegar ao mercado nacional e internacional em 2020.

“Acreditamos que o Sistema Único de Saúde (SUS) vai ter interesse, pois o método é muito rápido e mais barato. Qualquer laboratório possui máquinas de centrífugar e citômetro de fluxo. Somente é necessário ter essas duas máquinas e um tubinho para coletar sangue”, explica o professor de Biologia, Luiz Ricardo Goulart Filho, que coordena o projeto, em entrevista ao Portal G1.

O custo estimado do exame é de R$ 100 por paciente, mas com a implantação em larga escala na rede pública de saúde, o valor deve ser bem mais reduzido.

Para que o exame possa ser disponibilizado para toda a população brasileira, após o registro da patente, deve ser realizado o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a submissão ao Conselho Temático de Inovação e Tecnologia (Cointec), a avaliação em um outro laboratório público e o estudo de implementação.

Veja também: Whitebook: qual o melhor tratamento para câncer de próstata?

“Isso demora muito tempo para política pública, mas para os laboratórios privados, uma vez registrado o produto, eles podem comercializar. No mês que vem, ele será implantado em um laboratório particular como pesquisa de validação de estágio final clínico e, provavelmente em abril ou maio, será lançado no mercado definitivo nacional e no internacional a partir de junho ou julho”, explicou Luiz Goulart.

O novo exame foi desenvolvido em parceria com a empresa Biogenetics, que recebeu recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e investiu na pesquisa da UFU.

Diferencial

Chamado de biópsia líquida, o novo exame analisa o sangue do paciente, que passa em laboratório por duas máquinas: uma centrífuga, que separa as suas partes, e um citômetro de fluxo, que conta e classifica essas partes.
Assim, é possível observar a presença de células normais, que se desprendem dos órgãos no processo natural de renovação, além da existência ou não de células tumorais.

O resultado do novo exame de próstata sai em até três horas, com uma precisão de 96% a 97% e a um custo aproximado de R$ 100 por paciente.

Câncer de próstata

Segundo o Ministério da Saúde, o câncer de próstata é o tumor que afeta a próstata, glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. Esse tipo de câncer é o mais frequente entre os homens, depois do câncer de pele.

As estimativas apontam 68.220 novos casos em 2018. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens, além de ser a segunda causa de morte por câncer em homens no país, com mais de 14 mil óbitos.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor:

Referências bibliográficas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.