Leia mais:
Leia mais:
Preservação da fertilidade em mulheres submetidas a tratamentos oncológicos
Câncer de mama: saiba detalhes com o especialista [podcast]
Exigência de atestado dificulta vacinação de pacientes oncológicos contra a Covid-19
Câncer de mama supera o pulmão como o tumor mais diagnosticado no mundo
Oncologistas ainda podem participar de estudo sobre cuidados contra o câncer na pandemia

Novo medicamento é aprovado para câncer de próstata metastático

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos.

Reconhecido como o primeiro medicamento a ser aprovado nos Estados Unidos para o uso no tratamento de câncer de próstata não metastático e resistente à castração, em 2018, a apalutamida (Erleada, Janssen) também foi aprovada para uso em câncer de próstata metastático sensível à castração (mCSPC). Essa foi a primeira vez que a Food and Drug Administration (FDA) usou a sobrevida livre de metástases como o principal objetivo final na tomada de decisões.

Essa aprovação foi baseada nos parâmetros primários mais tradicionais de sobrevida global (OS) e sobrevida livre de progressão radiográfica (rPFS). Os resultados são da fase três do estudo TITAN, que foram apresentados na reunião anual de 2019 da American Society of Clinical Oncology (ASCO) e publicados simultaneamente no New England Journal of Medicine.

“A lógica por trás do estudo TITAN era a ideia de que a inibição direta do receptor de androgênio pela apalutamida pode fornecer uma redução mais completa da sinalização de androgênio do que a terapia de privação de androgênio (ADT) sozinha, levando à melhores resultados clínicos”, explicou o autor do estudo Kim Chi, médico oncologista da BC Cancer Agency, em Vancouver, no Canadá.

Leia também: Screening de câncer de próstata: confira as novas recomendações

vários medicamentos juntos com o liberado para câncer de próstata

Apalutamida no tratamento de câncer

A apalutamida em conjunto com a terapia de privação de androgênio aumentou significativamente a sobrevida global dos pacientes em comparação com placebo mais a terapia de privação de androgênio, com uma redução de 33% no risco de morte (taxa de risco [HR], 0,67; P = 0,0053). Além disso, o rPFS foi significativamente melhorado em comparação com o placebo mais o ADT, com um risco 52% menor de progressão radiográfica ou morte (HR, 0,48; P <0,0001).

As taxas de sobrevida global de dois anos, após um acompanhamento médio de 22,7 meses, foram de 84% para os pacientes que receberam o fármaco em conjunto com a terapia de privação de androgênio, em comparação com 78% para aqueles que receberam placebo aliado a terapia de privação de androgênio.

“O câncer de próstata é mais difícil de ser tratado quando se espalha e, para pacientes com doença sensível à castração, fica claro que a terapia de privação de andrógenos (ADT) sozinha não costuma ser suficiente”, disse Chi em comunicado à imprensa sobre a nova aprovação.

Leia mais: Saiba quando o rastreio do câncer de próstata pelo PSA é necessário

“Os resultados do estudo TITAN mostraram que, independentemente da extensão da doença, os pacientes com câncer de próstata metastático sensível à castração têm potencial para se beneficiar do tratamento com apalutamida, além do TDA”, acrescentou Chi.

Comentando os novos dados na reunião da ASCO, o médico Michael Carducci, professor de pesquisa de câncer de próstata do AEGON, no Johns Hopkins Kimmel Cancer Center, em Baltimore, disse que o estudo TITAN confirma que o padrão atual do mCSPC deve ser uma combinação de ADT e quimioterapia ou um inibidor do receptor de androgênio, tais como enzalutamida (Xtandi, Astellas) e abiraterona (Zytiga, Janssen) e agora também apalutamida.

As reações adversas mais comuns (≥10%) que ocorreram com mais frequência em pacientes tratados com apalutamida (≥2% sobre placebo) dos ensaios clínicos randomizados controlados por placebo (TITAN e SPARTAN) foram fadiga, artralgia, erupção cutânea, diminuição do apetite, queda, peso diminuído, hipertensão, afrontamentos, diarreia e fratura.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor:

Referências bibliográficas:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar