Vacina contra meningite meningocócica C está disponível para menores de 11 anos até dezembro

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

A vacinação gratuita contra a meningite meningocócica foi ampliada até dezembro deste ano para todas as crianças menores de 11 anos que ainda não tenham recebido o imunizante pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde (MS). 

A medida tem como objetivo evitar surtos da doença e otimizar o uso das doses da referida vacina, em virtude do baixo consumo desse imunizante nos últimos anos.

Leia também: Dia Mundial de Combate à Meningite: tratamento e imunização

Vacina contra meningite meningocócica C está disponível para menores de 11 anos até dezembro

Tome as melhores decisões clinicas, atualize-se. Cadastre-se e acesse gratuitamente conteúdo de medicina escrito e revisado por especialistas

Atraso na vacinação

Uma pesquisa realizada pela IPSOS Mori e encomendada pela farmacêutica GSK, realizada entre 19 de janeiro e 16 de fevereiro de 2021, entrevistou 4.962 pais e responsáveis legais de oito países (incluindo o Brasil) e revelou que 50% dos pais atrasaram ou não vacinaram seus filhos contra a meningite meningocócica durante a pandemia do novo coronavírus.  

Esses resultados convergem com os dados do PNI que apontam que apenas 49% do público-alvo da vacina meningocócica C cumpriu o esquema vacinal recomendado até agosto deste ano. Em 2020, a cobertura vacinal também ficou abaixo do esperado: 78%.

Na opinião do pediatra Juarez Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), essa ampliação é uma ótima oportunidade para a atualização da caderneta de vacinação desta faixa etária, visando a proteção principalmente nesse momento em que as aulas presenciais estão sendo retomadas em todo o país.

“Os mais jovens estão mais vulneráveis aos riscos da doença. E o sorogrupo C é o de maior incidência no país, responsável por 60% dos casos da enfermidade, quando observamos todas as faixas etárias. Ademais, os adolescentes e adultos jovens são os principais responsáveis pela transmissão da doença, em decorrência de elevadas taxas de estado de portador da bactéria meningocócica em nasofaringe”, esclareceu o presidente da SBIm.

A vacina também é oferecida gratuitamente nos postos de saúde para bebês — com doses administradas aos três e cinco meses de idade, além de um reforço aos 12 meses. Para adolescentes de 11 e 12 anos, está disponível a vacina contra os sorogrupos A, C, W e Y em dose única.

Mais sobre a meningite meningocócica

Transmitida por contato com gotículas ou secreções respiratórias através de tosse, espirro ou beijo de uma pessoa contaminada, a meningite meningocócica atinge principalmente crianças.

De acordo com a infectologista Lessandra Michelin, gerente médica de vacinas da GSK, o grande desafio é o diagnóstico precoce, fator determinante para a sobrevivência ou a redução de sequelas nos pacientes.

Saiba mais: Meningite bacteriana resistente a ciprofloxacino isolada em menino nos Estados Unidos

“É preciso que os pediatras estejam atentos aos primeiros sinais, que muitas vezes se confundem com os de outras infecções, incluindo a Covid-19. Para minimizar todos os riscos, a vacinação é a forma mais efetiva na prevenção contra a doença”, esclarece a infectologista.

Os sintomas iniciais da meningite meningocócica são febre alta, irritabilidade, cefaleia, náusea e vômito. Na sequência, os pacientes podem apresentar pequenas manchas arroxeadas na pele, rigidez na nuca e sensibilidade à luz. Se não for rapidamente tratado, o quadro pode evoluir para confusão mental, convulsão, choque, infecção generalizada e falência múltipla de órgãos com risco de óbito.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a):

Referências bibliográficas:

Cadastre-se ou faça login para acessar esse e outros conteúdos na íntegra
Cadastrar Fazer login
Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED: Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:
7 dias grátis com o Whitebook Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.
Acesso gratuito ao Nursebook Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.
Acesso gratuito Fórum Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.
Acesso ilimitado Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos e revisados por especialistas
Teste seus conhecimentos Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida
Conteúdos personalizados Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados por especialidades

O Portal PEBMED é destinado para médicos e profissionais de saúde. Nossos conteúdos informam panoramas recentes da medicina.

Caso tenha interesse em divulgar seu currículo na internet, se conectar com pacientes e aumentar seus diferenciais, crie um perfil gratuito no AgendarConsulta, o site parceiro da PEBMED.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entrar | Cadastrar