Home / Saúde Pública / #VemProUro: campanha visa conscientizar o adolescente sobre prevenção
campanha vemprouro

#VemProUro: campanha visa conscientizar o adolescente sobre prevenção

Saúde Pública, Urologia
Acesse para ver o conteúdo
Esse conteúdo é exclusivo para usuários do Portal PEBMED.

Para continuar lendo, faça seu login ou inscreva-se gratuitamente.

Preencha os dados abaixo para completar seu cadastro.

Ao clicar em inscreva-se, você concorda em receber notícias e novidades da medicina por e-mail. Pensando no seu bem estar, a PEBMED se compromete a não usar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Inscreva-se ou

Seja bem vindo

Voltar para o portal

Tempo de leitura: 2 minutos.

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) está realizando desde setembro a segunda edição da campanha com foco no adolescente do sexo masculino. O objetivo é orientar os pais a criar o hábito de levar os jovens de 15 a 19 anos a médicos urologistas.

Batizada de #VemProUro, a ação de orientação da saúde idealizada pelo urologista Daniel Suslik Zylbersztejn, membro do Departamento de Sexualidade e Reprodução da SBU, visa conscientizar os pais e os próprios meninos da necessidade do desenvolvimento uma rotina de cuidados preventivos.

“Ao elaborar a campanha, percebi que não temos no país dados estatísticos confiáveis sobre a prevalência do adolescente masculino nos consultórios dos urologistas, assim bem como a motivação da consulta. Apesar dessa prevalência ser sabidamente baixa, precisamos de dados confiáveis para entender a efetividade da campanha a médio e longo prazo, pois trata-se de uma mudança de cultura de toda a sociedade frente à questão da saúde dos nossos jovens”, conta o urologista.

Importância da conscientização

Para o especialista, a ida ao urologista desde a adolescência pode ajudar a tirar dúvidas sobre sexualidade, e evitar doenças, como a varicocele, que é uma dilatação dos vasos do testículo que pode levar a uma redução da produção de espermatozoides e, no futuro, até causar infertilidade. Caso o problema seja identificado ainda na adolescência, pode ser tratado com sucesso.

“A fimose, por exemplo, pode aparecer em 6% dos adolescentes. Tem estudos que mostram que a fimose atrasa o início dos relacionamentos sexuais desse adolescente, trazendo inclusive alterações psicológicas importantes em relação a parte sexual.”, aponta Daniel Zylbersztejn.

A campanha tem duas fases. A primeira para mostrar a importância de o homem ir ao médico em todas as idades, inclusive na adolescência. E a segunda etapa prevê que a formação dos urologistas dê mais espaço na saúde do adolescente. “A meta é inserir essa ideia nos planos de residência médica”, ressalta o especialista.

Pesquisa entre os adolescentes brasileiros

Uma pesquisa realizada pelo psiquiatra Jairo Bouer, de maio a agosto de 2019, com 3.305 adolescentes de 13 a 17 anos, em diferentes escolas particulares do Rio de Janeiro, verificou que entre os meninos a Urologia é uma das especialidades menos procuradas. Dos que vão ao médico, 55,8% responderam ir ao clínico geral e 35,3% ao pediatra. Apenas 3,5% deles afirmaram ir ao especialista responsável pela saúde do homem, enquanto 42,1% das meninas responderam ir ao ginecologista.

Dados similares foram levantados nos Estados Unidos, em pesquisa de 2010, que apontou que apenas 4% das visitas totais ao urologista americano são realizadas por homens abaixo de 25 anos.

A SBU criou um hotsite com temas voltados para o jovem, tais como: vacinação, DSTs, perigo dos anabolizantes, alimentação na era do fast food, varicocele, tamanho do pênis etc.

Há também um material instrutivo que pode ser baixado e impresso para que os médicos possam divulgá-los nos consultórios. Já no Facebook, foram desenvolvidos posts de esclarecimento do jovem, assim como a criação de vídeos curtos com especialistas tirando dúvidas.

campanha vemprouro

Autora:

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.