Página Principal > Endocrinologia > Dia Mundial de Combate ao Diabetes: como prevenir e tratar a doença?
Diabetes tipo 2

Dia Mundial de Combate ao Diabetes: como prevenir e tratar a doença?

Tempo de leitura: 3 minutos.

O diabetes é uma doença metabólica crônica causada pela falta de insulina no organismo ou pela incapacidade de produção deste hormônio pelo pâncreas, o que acarreta a hiperglicemia, ou seja, a elevação nos níveis de glicose no sangue. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 16 milhões de pessoas sofrem com esta condição no Brasil, a estimativa mundial é de aproximadamente 422 milhões de pessoas convivendo com a doença.

Nesta quarta, 14 de novembro, é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Diabetes, campanha criada com intuito de conscientizar a população para a prevenção da doença e a importância do controle glicêmico em pacientes acometidos com a síndrome.

Mortalidade do diabetes

De acordo com o Ministério da Saúde, os casos de mortes provocadas pelo diabetes aumentaram 12% de 2010 para 2016. O número de vítimas fatais foi de 54.877, no começo do período, para 61.398, no final. Este intervalo de tempo registrou 406.452 óbitos.

Tipos de diabetes

O diabetes é dividido em dois tipos principais, o tipo 1 e o tipo 2. O diabetes do tipo 1 é uma doença autoimune na qual as defesas do organismo atacam as células do pâncreas, responsáveis pela fabricação de insulina, hormônio que permite a entrada da glicose no interior das células.

Leia mais: O que há de novo no tratamento do diabetes tipo 2?

O tipo 2 é mais comum e acomete 90% dos pacientes diagnosticados com a doença. É caracterizado pela deficiência parcial ou total na produção de insulina com graus variados de resistência periférica ao hormônio. Esta incapacidade é provocada por fatores como obesidade, sedentarismo e hereditariedade

Sintomas e diagnóstico

Na maioria dos casos, os pacientes diabéticos permanecem assintomáticos, porém alguns sinais pode aparecer ocasionalmente como cansaço, sede e urina em excesso. O diagnóstico para o diabetes é realizado por meio do teste de glicemia em jejum ou o de hemoglobina glicada, caso o resultado seja: glicemia em jejum  ≥ 126 mg/dL e glicemia glicada > 6,5, está confirmado o quadro de diabetes.

Fatores de risco

O diabetes não tem uma origem específica, porém alguns fatores podem ser determinante para risco de desenvolvimento da doença, é o caso da obesidade, sedentarismo, colesterol alto, idade avançada, hipertensão, história familiar de diabetes em parente de primeiro grau, doença aterosclerótica, etc.

Tratamento

O tratamento do paciente diabético age no intuito de controlar os níveis glicêmicos neste indivíduo, mantendo o alvo entre entre 70 e 100mg/dL. No diabetes do tipo 1, a terapia envolve administração de insulina, que também pode ser usada nos do tipo 2 quando o pâncreas não consegue mais produzir o hormônio ou o produza insuficientemente. O tratamento farmacológico inclui Inibidores da alfaglicosidase, metformina, glibenclamida, etc

Prevenção

Segundo a endocrinologista Christiane Carvão, do Centro de Estudos e Pesquisas da Mulher (CEPEM), a profilaxia para o diabetes envolve exercícios físicos, boa alimentação, práticas esportivas e controle de peso a fim de evitar o descontrole hormonal. “A principal forma de prevenção é ter uma vida saudável, moderando o estresse, evitando ganho excessivo peso, praticando atividades físicas e mantendo uma alimentação saudável, rica em verduras, legumes, carnes magras e gorduras insaturadas”, orienta Carvão.

Principais matérias relacionadas

De olho na importância do tema, aqui no Portal PEBMED publicamos diversas matérias sobre o assunto. Confira os 10 artigos mais lidos sobre a doença em 2018:

  1. Diabetes tipo 1: liraglutide pode ser útil no controle glicêmico?
  2. Nova classificação propõe 5 tipos de diabetes; veja as diferenças
  3. Relação entre vitamina D e diabetes tipo 2: perguntas e respostas
  4. O que você precisa saber sobre as diretrizes de 2017 da ADA para tratamento do diabetes
  5. Diabetes tipo 2: nova diretriz defende hemoglobina glicada entre 7 e 8%
  6. Entenda a nova classificação do diabetes em 5 subgrupos
  7. Diabetes mellitus gestacional: diagnóstico, tratamento e acompanhamento pós-gestação
  8. Eficácia do pâncreas artificial para o tratamento de diabetes tipo 1
  9. Complicações microvasculares do diabetes: da fisiopatologia à aplicação clínica
  10. A polêmica dieta low carb em pacientes diabetes tipo 1

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:



Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.