Home / Colunistas / Mães com hepatite C não realizam rastreio no bebê pós-parto

Mães com hepatite C não realizam rastreio no bebê pós-parto

Sua avaliação é fundamental para que a gente continue melhorando o Portal Pebmed

Quer acessar esse e outros conteúdos na íntegra?

Cadastrar Grátis

Faça seu login ou cadastre-se gratuitamente para ter acesso ilimitado a todos os artigos, casos clínicos e ferramentas do Portal PEBMED

No final de 2020, A American Association for the study of Liver Desease (AASLD) divulgou um estudo que constatou que entre as mulheres grávidas com o vírus da hepatite C (HCV), menos de um terço dos bebês realizaram o teste de HCV apropriado.

O trabalho foi desenhado em forma de coorte retrospectiva de base populacional, e usou dados coletados de pré-natais de mães VHC-positivas, com teste de RNA do VHC antes ou durante a gravidez.

Perfil populacional:

De 1.393 gestações de mães VHC-positivas, os dados do estudo incluíram 194 nascimentos de 151 mulheres com cirrose de 2000-2014. A idade média das mães na época da gravidez era de 32 anos e 89% das mães viviam em áreas urbanas. 31% das mulheres no estudo tinham transtorno de uso de substâncias, incluindo uso de álcool e opioides.

De acordo com seus resultados, 51 de 151 mulheres grávidas foram inicialmente diagnosticadas com HCV, 106 foram diagnosticadas com cirrose antes da gravidez e 88 foram diagnosticadas com cirrose durante ou após a gravidez. Menos 3% por cento tiveram complicações hepáticas. Os resultados adversos da gravidez experimentados pelas mulheres no estudo incluíram colestase intra-hepática, complicações hipertensivas, diabetes gestacional e hemorragia pós-parto.

Hepatite C

Números alarmantes: menos de um terço dos bebês foram rastreados corretamente para o vírus da Hepatite C

De 194 bebês de mães positivas, apenas 32% receberam o teste de HCV apropriado. A análise dos dados mostrou que o teste infantil apropriado, aquele que é realizado a partir dos 12 meses de idade, foi associado ao momento do diagnóstico de cirrose e à idade materna, enquanto as complicações hepáticas maternas e resultados adversos da gravidez não foram associados ao teste infantil apropriado.

No Brasil:

Os principais Colégios de Ginecologia e Obstetrícia no mundo recomendam o rastreio universal para Hepatite C na gestação. Porém, infelizmente, poucas são as instituições públicas que oferecem a triagem pré-natal para Hepatite C no Brasil. A grande maioria das mulheres em idade reprodutivas que recebem o diagnóstico da contaminação é diante das complicações da própria doença. 

Os dados acerca da real chance de transmissibilidade do vírus HCV da mãe para o bebê ainda são limitados.  

Autor(a): 

Referência bibliográfica:

  • MORE WOMEN DIAGNOSED WITH HCV DURING PREGNANCY, BUT MANY INFANTS STILL NOT TESTED DESPITE RECOMMENDATIONS FROM LEADING, American Association for the Study of Liver Diseases, November, 2020 https://www.aasld.org/more-women-diagnosed-hcv-during-pregnancy-many-infants-still-not-tested-despite-recommendations HEALTH ORGANIZATIONS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×

Adicione o Portal PEBMED à tela inicial do seu celular: Clique em Salvar na Home Salvar na Home e "adicionar à tela de início".

Esse site utiliza cookies. Para saber mais sobre como usamos cookies, consulte nossa política.